Portugal inicia celebração da Semana da Vida

Com o tema Gerar vida Construir o futuro, Semana discute questões de natalidade e cuidados com a terceira idade dentro do âmbito econômico do país

Brasília, (Zenit.org) Lilian da Paz | 336 visitas

A Igreja de Portugal deu início neste domingo (11) à Semana da Vida. Com o tema Gerar vida – Construir o futuro, a programação vai até 18 de maio. Organizada pelo Departamento Nacional de Pastoral Familiar, da Comissão Episcopal do Laicato e Família, a Semana procura refletir sobre o modelo de vida europeu que tenta descartar o valor da vida humana.

No guia da Semana, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), por meio da Pastoral Familiar, traz uma reflexão que levanta a questão econômica e a dignidade da vida de cada pessoa, sobretudo dos jovens.

“Poderá parecer irrealista salientar a importância desta abertura à vida no atual contexto social, em que o desemprego e a precariedade laboral atingem de modo particular os jovens. Este fato deve levar-nos a não nos resignarmos com esta situação, como se ela fosse inevitável, como se a economia não devesse estar ao serviço da pessoa humana, e fosse a pessoa humana a dever sujeitar-se às exigências da economia”.

Portugal sofre bastante com uma mentalidade utilitarista acerca da vida, sobretudo a que se relaciona com a concepção e os cuidados com as pessoas da terceira idade. A Pastoral Familiar portuguesa vê a questão como um problema demográfico que começa a tomar contornos preocupantes.

À baixa natalidade está unida a emigração dos jovens portugueses, em idade fértil, para outros países.  “Sem jovens e sem casais jovens não temos crianças. E sem crianças não temos futuro!”, alerta a organização da Semana. A crise econômica europeia dá contornos graves à situação, deixando o país também à mercê de mão de obra especializada que possa alavancar o mercado.

Uma solução para o dilema – que deve ganhar mais espaço para a discussão – é a elaboração de políticas públicas de proteção à família e à vida. O principal objetivo é dar condições de existência a casais que queiram ter mais filhos. Para isto a Pastoral Familiar propõe o diálogo com as novas gerações.

A Pastoral ainda lembra que toda forma de impedir a vida – aborto, eutanásia e outros – não são aceitáveis. Ao contrário, salienta que “a ciência e a técnica estejam sempre orientadas para o homem e para o seu desenvolvimento integral”.

A programação da Semana segue um guia que pode ser baixado do site www.leigos.pt. Lá são encontrados os temas para intenção de cada um dos dias e a programação das dioceses portuguesas durante a Semana. Além disso, há orações e textos de reflexão.