Positivas as palavras do novo presidente do Irã

Pontifício Conselho Justiça e Paz não duvida da sinceridade de Hassan Rohani, mas só os fatos a confirmarão

Roma, (Zenit.org) | 449 visitas

O cardeal Peter Turkson, presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz, afirmou que, desde a eleição do novo presidente do Irã, Hassan Rohani, esperava-se um novo tipo de primavera, muito embora o líder do país islâmico tenha reiterado o direito de dar continuidade ao seu programa nuclear com fins pacíficos.

"Na ONU, a mensagem foi bastante conciliadora, apesar de que Israel não acredite muito nisso", comentou o cardeal. "Não tenho motivos para duvidar da sinceridade das palavras dele; temos que ver se ele vai agir de modo coerente com o que declarou na ONU".

O novo presidente do Irã, Hassan Rohani, declarou que o país "não desenvolverá armas nucleares em nenhuma circunstância", em entrevista à rede de televisão NBC, dos EUA. Rohani asseverou que tem "total autoridade para chegar a um acordo com o Ocidente", deixando claro, ao mesmo tempo, que conta com o apoio absoluto do líder supremo iraniano, a cargo do programa nuclear.

Esta entrevista foi a primeira de Rohani a um meio de comunicação estadunidense desde a sua eleição, em junho, com pouco mais de 50% das preferências dos eleitores. Logo que foi eleito, manifestou a vontade de "apresentar o verdadeiro rosto do Irã como país culto e amante da paz".

Durante o seu primeiro pronunciamento nas Nações Unidas, o presidente iraniano afirmou que "podemos chegar a um acordo para gerir as nossas diferenças, desde que haja confiança mútua e transparência". Do mesmo modo, Rohani reconheceu a existência do holocausto judeu. "Qualquer crime que ocorreu na história contra a humanidade, incluindo o crime que os nazistas cometeram contra o povo judeu, assim como contra os não judeus, é condenável", disse ele em entrevista à rede CNN.