Possível ataque ao Papa preocupa a América Latina. Lombardi: estamos tranquilísimos

Fiscal anti- máfia está preocupado. O porta-voz do Vaticano disse que não existe nenhum alarme

Roma, (Zenit.org) Redacao | 4005 visitas

As informações sobre um possível ataque da máfia contra o papa, publicada por ZENIT na edição espanhola de ontem, despertou grande preocupação em toda a América Latina. Durante o dia de hoje, a redação recebeu inúmeras chamadas, de diferentes países da América Latina. A suspeita foi lançada pelo fiscal-adjunto da região italiana de Reggio Calabria, Nicola Gratteri, em entrevista publicada ontem no jornal italiano Il Fatto Quotidiano.

“Não existe nenhum motivo concreto que preocupe e não vem ao caso se alarmar” afirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. Conforme notícia da agência italiana ANSA.

Nos centro do poder, diz ele, a figura do Papa Francisco é vista com desconfiança e temor. O santo padre, adverte Gratteri, pode ser alvo do crime organizado se ele continuar com sua política de limpeza financeira no Vaticano. "Está deixando nervosa a máfia financeira", afirma.

Além disso, o fiscal da Calábria afirma que "aqueles que se nutriram até agora do poder e da riqueza derivados da Igreja, estão inquietos”. O Papa "está no caminho certo, rema contra o luxo e tem dado sinais importantes" de que "tem como objetivo fazer uma limpeza total", uma atitude que não pode deixar de desagradar a máfia.

"Eu não sei se o crime organizado é capaz de fazer algo contra o Papa -continua-, mas certamente está pensando". "Pode ser perigoso", ressalta.

Em suas declarações, o especialista na luta contra o crime organizado também afirma que "os antigos ‘padrinhos’ deixaram de existir, estão mortos ou na cadeia". No momento, esclarece Gratteri, manda "o investidor mafioso, que faz lavagem de dinheiro, em suma, tem o poder real". Para o fiscal de Reggio Calabria, "são estes que estão ficando nervosos".

É importante notar que a palavra máfia na América Latina é usadacomo um termo genérico,masna Itália, a Máfia éo 'crime organizado' na região da Sicília, enquanto em Reggio Calabria é chamado N'drangheta e em Nápoles, camorra.

Enquanto isso, os modelos do filme 'O Poderoso Chefão' (IlPadrino) tornaram-se obsoletos e o que resta é a criminalidade que se ocupa do tráfico humano, de armas, prostituição e drogas, daí a necessidade de buscar fundos ilícitos.