Pregação ou discurso persuasivo

Como melhorar a pregação sagrada: coluna do Pe. Antonio Rivero, L.C., professor de Teologia e Oratória no seminário Mater Ecclesiae de São Paulo

São Paulo, (Zenit.org) Pe. Antonio Rivero, L.C. | 1752 visitas

Continuaremos a explicar os vários tipos de pregação sagrada. Anteriormente, vimos a palestra ou discurso explicativo. Hoje, veremos a pregação ou discurso persuasivo.

Qualquer conversa ou discurso persuasivo é dirigido particularmente à vontade dos ouvintes para decidir ou fazer o que eu estou propondo, porque é um bem que os realiza como homens, como cristãos, como profissionais. Lembre-se que a palestra ou o discurso explicativo foi direcionado principalmente à mente. Este será direcionado à vontade.

Primeiramente, vamos às características do discurso persuasivo:

Um único tema persuasivo e convincente: “Deixe as drogas... Confesse uma vez ao mês... Vá a missa todos os domingos ... Obedeça a vossos pais ... Estude com responsabilidade e seriedade ... Faça apostolado ... Apoie financeiramente sua paróquia ... Faça esporte todos os dias durante meia hora, etc ... ".

Devo apresentar esse tema com duas ou três razões fortes e convincentes tiradas da Sagrada Escritura, da história, da experiência própria ou de terceiros. A vontade só vai se mover se encontrar razões fortes para fazer ou deixar de fazer aquilo que o pregador propõe.

Devo dar peso e valor a estas razões com a força do sentimento, desvendando alguns tópicos do famoso filósofo grego Aristóteles: quem, o quê, quando, onde, por que, o que, como, muitas vezes, como (quis, quid, quando, ubi, cur, ad quid, quotiens, quomodo).  O homem não é só cabeça ou vontade, mas também emoção e coração; por isso temos que tocar a sensibilidade do ouvinte para que sinta a verdade que estou propondo.

Devo pronunciá-lo com força persuasiva, variação no tom de voz, com perguntas aos ouvintes, fina ironia, momentos de silêncio e sempre enfatizando os aspectos positivos.

Devo dar exemplos de santos ou pessoas exemplares no tema que estou dando.

E, no final, é sempre aconselhável fazer uma citação do Santo Padre sobre o assunto, pois citar um Santo Padre é como andar sobre os ombros de gigantes.

Segundo, vamos agora ao esboço do discurso persuasivo:

Uma introdução atraente com estatísticas, exemplos, notícias, fatos históricos, comparações. Desde o início, lançar algumas objeções que os ouvintes têm sobre o assunto a ser discutido, e depois o pregador vai dando as respostas.

Desenvolver um parágrafo estruturado e vigoroso (na oratória é chamado de "proposta"), onde termino com os motivos que irei provar e valorizar. Por exemplo: jovem, se você estudar com responsabilidade (o meu fim), você poderá ter um futuro melhor e conseguirá um ótimo trabalho (primeiro motivo), amadurecerá como ser humano (segundo motivo) e certamente irá ajudar a humanidade com o resultado de seus estudos ( terceiro motivo), você não acha?

Desenvolvimento dos três motivos que formulei nesse parágrafo ou frase: motivos que devem ser provados, avaliados e pronunciados com força, vigor, variação de tom, ênfase ... como indicado anteriormente.

Uma conclusão ou peroração em que se resume brevemente o discurso. Procure deixar uma frase curta ou “chave”, como um slogan.

Terceiro, ofereço um possível esquema para os jovens sobre as drogas. Objetivo: jovem, deixe a droga o quanto antes. Motivos: primeiro, deixe as drogas, porque as drogas destroem o seu corpo físico (dar estatísticas médicas e científicas para provar esse primeiro motivo) .... Eu conheço o caso de um jovem (comprovação de experiência) ... por que se drogava, quando usou drogas , quando experimentou ....? Em segundo lugar, deixe as drogas porque a droga destrói sua psique ... Dr. X tem um estudo muito interessante sobre isso. Em terceiro lugar, deixe a droga porque a droga destrói a sua família. Deus na Sagrada Escritura nos diz ... A Beata Madre Teresa de Calcutá tem este maravilhoso texto sobre este assunto.

O artigo anterior pode ser lido clicando aqui. 

Padre Antonio Rivero tem licenciatura e doutorado em Teologia Espiritual pelo Ateneu Pontifício Regina Apostolorum em Roma. Atualmente exerce seu ministério sacerdotal como professor de teologia e oratória, e diretor espiritual no Seminário Maria Mater Ecclesiae do Brasil.

Caso você queira se comunicar diretamente com o Pe. Antonio Rivero escreva para arivero@legionaries.org  e envie as suas dúvidas e comentários.