Prêmio Pax Christi Internacional vai para dom John Onaiyekan

Arcebispo de Abuja é homenageado pelo compromisso com o diálogo inter-religioso

| 838 visitas

ROMA, terça-feira, 6 de novembro de 2012 (ZENIT.org) - "A violência não terá a última palavra". O movimento Pax Christi Internacional concedeu na semana passada o prêmio que entrega todos os anos àqueles que trabalham pela paz. Desta vez, o reconhecimento foi dado ao arcebispo nigeriano John Onaiyekan pelos seus esforços em promover o diálogo e uma melhor compreensão entre os povos de diferentes tradições religiosas que vivem no continente africano.

Onaiyekan lutou "incansavelmente" pela causa da paz, da justiça e do diálogo inter-religioso na Nigéria e em outros países da África.

O prelado, desde 1994, lidera a arquidiocese católica de Abuja e é co-presidente do Conselho Africano de Líderes Religiosos, "Religiões para a Paz" (ACRL-RFP). Ele também foi presidente da Conferência dos Bispos Católicos da Nigéria e co-presidente do Conselho Inter-Religioso da Nigéria (NIREC). É um dos seis novos cardeais nomeados em 24 de outubro pelo papa Bento XVI.

Onaiyekan tem sido um ardente promotor do diálogo entre cristãos e fiéis de outras religiões e um defensor da paz e da cooperação, especialmente na Nigéria. No recente sínodo dos bispos sobre a nova evangelização e a transmissão da fé, o arcebispo admitiu que "os cristãos na Nigéria não se consideram particularmente perseguidos pelos muçulmanos". E acrescentou: "A nossa população de 160 milhões é composta igualmente por cristãos e muçulmanos, que têm a mesma influência. Conseguimos conviver muito bem no mesmo país. Acreditamos ter aprendido algumas lições que podem ser úteis para o resto do mundo".

Durante o sínodo, o arcebispo destacou que os muçulmanos e os cristãos têm "uma responsabilidade compartilhada de trabalhar pela paz e pela harmonia entre nós e em nosso mundo de hoje". Segundo o prelado, as diferenças entre as duas religiões não são irrelevantes, mas "há também grandes áreas comuns, que foram mencionadas pelo concílio Vaticano II". "A nova evangelização envolverá um trabalho conjunto para a promoção de valores compartilhados, em um mundo que precisa deles desesperadamente".

Os co-presidentes da Pax Christi Internacional, Marie Dennis (EUA) e dom Kevin Dowling (África do Sul), afirmaram que "a noção de reconciliação está no centro do trabalho em prol da paz, feito pela Pax Christi Internacional".

"É certamente do interesse de todos os nigerianos permanecer unidos em seu desejo de libertar o país de todas as formas de violência extrema que ameaçam separá-los", disse dom Dowling.

A Pax Christi Internacional reconheceu a importante liderança do arcebispo Onaiyekan em favor da paz no seu país, mas também em toda a África e em vários países do mundo todo. Ele pagou com o próprio nome pelo compromisso de anunciar o evangelho da paz e da não-violência. “A Pax Christi Internacional agradece a dom Onaiyekan pela sua determinação em acreditar que a violência não será a última palavra”.

(Trad.ZENIT)