Preparação para o matrimônio

Um amplo e exigente processo de educação para a vida conjugal... uma necessidade urgente (PSM10)

São Paulo, (Zenit.org) André Parreira | 775 visitas

Embora seja um assunto extenso, este artigo fecha um ciclo de comentários sobre a Preparação para o Matrimônio. Não que o tema tenha sido aqui esgotado, mas chegamos ao objetivo de comentar a proposta da Igreja a partir de um documento específico para a pastoral pré-matrimonial e confrontá-la com a realidade paroquial.

Tendo como base o documento Preparação para o Sacramento do Matrimônio do Pontifício Conselho para as Famílias, partimos da Preparação Remota, passando pela Próxima e chegando na Imediata, a fim de perceber que tal preparação não pode se resumir em poucas horas e às vésperas do casamento.

Além dos temas citados, não podemos deixar de falar que os casais agentes de formação precisam ainda conhecer as questões do Matrimônio no Direito Canônico, como suas condições e impedimentos, embora o PSM não explicite tal necessidade. Tal conhecimento não os torna capazes de agirem como juízes, mas sim de instruírem os noivos e também identificarem problemas incontornáveis que caracterizam um impedimento e precisam ser informados ao pároco. Algumas questões se tornaram comuns e se espalham com interpretações erradas, como "anular um casamento" enquanto o correto é "verificar a nulidade". Os noivos precisam ter contato, ainda que breve, com tais questões legais.

Como os temas tratados foram variados e para que tenha uma ideia geral de todos eles, deixo aqui o desafio de organizar, mesmo que mentalmente, um resumo das três etapas apresentadas e as características relevantes de cada uma delas. E, com tal resumo, se perguntar: como anda a preparação para o Matrimônio em minha paróquia?

Será que estamos trabalhando para impactar positivamente a preocupação do Papa e de toda a Igreja, como já afirmamos no primeiro artigo da série, da possibilidade de metade dos Matrimônios serem nulos? Ele resume claramente os motivos: "porque as pessoas se casam sem maturidade ou porque socialmente devem se casar". E isto tem relação com a falta de formação e de planejamento estratégico quando pensamos em formar os filhos para que sejam futuros pais e mães de família. O estímulo para a vida familiar já, há muito tempo, anda sumido dos lares de muitos cristãos. Mas a preocupação com a formação intelectual e ascensão profissional parece crescer a cada instante.

Os filhos de hoje se sentem motivados a buscarem a vida matrimonial a partir do exemplo de seus pais?

E quando saímos da Igreja Doméstica em direção à vida paroquial, também precisamos de casais que acreditem e sejam fiéis ao Magistério da Igreja e cultivem a beleza do Matrimônio em todas oportunidades e pastorais. Casais que, sendo reais e nada perfeitos, busquem a santidade no Matrimônio com contínua renovação e propaguem a beleza de se caminhar com a Igreja. E compromissados com a missão de ajudar na formação das famílias, se dediquem à preparação pré-matrimonial que deve abranger a catequese, mas também todas as pastorais de cada paróquia. Se assumimos que a Família é o Santuário da Vida (João Paulo II), devemos ter todo o esmero para que as famílias comecem bem, ou seja, comecem a partir de um Matrimônio consciente e bem preparado.

Encerro com um questionamento feito pelo documento Preparação para o Sacramento do Matrimônio: Quem contrai Matrimônio está realmente preparado para isso? O problema da preparação para o sacramento do Matrimônio, e para a vida que se lhe segue, emerge como uma grande necessidade pastoral antes de mais para o bem dos esposos, para toda a comunidade cristã e para a sociedade. (PSM 01)

Espero que esta série de artigos tenha sido construtiva para a reflexão sobre sua prática pastoral. Não só para a reflexão, mas também para algumas mudanças práticas e imediatas, pois as famílias não podem esperar mais.

Que melhorias para a preparação dos noivos foram ou estão sendo realizadas pela sua equipe?

Note que a preocupação com as famílias é tema central na Igreja, que está se mexendo para também aprimorar sua ação pastoral. Acredito que você, leitor, principalmente se agente na formação de noivos, esteja acompanhando toda a movimentação do Sínodo sobre as Famílias. Não só acompanhando, mas também rezando como nos pede o Papa Francisco: "peço-vos para invocardes intensamente o Espírito Santo, a fim de que ilumine os Padres sinodais e os guie na sua exigente tarefa." (Zenit, 25/02/14).

***

Veja todos os artigos escritos:

Planejamento estratégico para a vida familiar

Preparação remota:

O exemplo dos pais é ponto de partida

Família como primeiro ambiente de preparação para a vida matrimonial

Prepração próxima: 

Formar solidamente a consciência moral dos noivos para a livre e definitiva escolha do Matrimônio

A segurança do conteúdo deve ser o centro e o objetivo essencial dos cursos

O amor conjugal

O diálogo que gera o conhecimento

A sexualidade é fonte de alegria e prazer (CIC2362)

Os filhos

Preparação imediata:

"Aproveitar todas as ocasiões para aprofundar o sentido daquilo que se realiza no sacramento"

"Conveniente preparação litúrgica que preveja mesmo a participação ativa dos nubentes"

Um amplo e exigente processo de educação para a vida conjugal... uma necessidade urgente (PSM10)  

André Parreira (alparreira@gmail.com), da diocese de São João del-Rei-MG, é autor de livros sobre a preparação para o Matrimônio e responsável no Brasil pelo DVD "Sim, Aceito!", lançado em parceria com a Pastoral Familiar da CNBB. Empresário, casado e pai de 6 filhos, colabora na formação de jovens e casais e é colunista colaborador de ZENIT.