Presença dos símbolos da JMJ anima jovens paraguaios em peregrinação nacional

Mais de 8 mil jovens de todas as partes do país caminharam por quilômetros com os símbolos da Jornada Mundial da Juventude

| 684 visitas

BRASÍLIA, terça-feira, 4 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) - A XV Peregrinação Nacional dos Jovens paraguaios, realizada no sábado (1) como parte da preparação para a festa da Virgem dos Milagres de Caacupé – padroeira do Paraguai, foi mais especial este sábado. Mais de 8 mil jovens de todas as partes do país caminharam por quilômetros com os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) até o santuário nacional para uma grande celebração com mais de 20 mil pessoas durante a tarde. 

A festa, celebrada no dia da Imaculada Conceição (8/12), atrai milhares de paraguaios que caminham por quilômetros de manhã, tarde e noite afora. Muitos dos peregrinos chegam já para os primeiros dias da novena e ficam hospedados em hotéis, pousadas ou mesmo nas ruas de Caacupé, debaixo do manto da Virgem dos Milagres. Ninguém os importuna, pois parecem saber que esse tempo de peregrinação é sagrado e todos os romeiros devem ser respeitados.   

Para o bispo referencial da juventude paraguaia, dom Ricardo Valenzuela, lembrou que os jovens podem e devem ser testemunhos de fé dentro de suas famílias, para conversão dos próprios pais. “O exemplo de Jesus Cristo deve ajudar vocês a mostrar a seus pais a grandeza do amor”, disse. A Conferência Nacional dos Bispos do Paraguai colocou a evangelização da família como centro da proposta de missão permanente no país. 

Dom Valenzuela propôs quatro orientações para a vivência do ano da fé pelos jovens. A leitura dos documentos do Concílio Vaticano II, que completa 50 anos de sua abertura em 2012; o conhecimento e estudo do Catecismo da Igreja Católica; a profissão de fé no Credo; e a intensificação do serviço aos demais, em particular pela missão de casa em casa;  

Valorizar o jovem
A jovem secretária-executiva da Pastoral Juvenil paraguaia, Micaela Rojas, pediu ao governo, à Igreja e à sociedade para combater os principais desafios para os jovens paraguaios como o alcoolismo, o vício das drogas, a falta de emprego, a pobreza de indígenas e jovens do campo. “Denunciamos a violenta a desavergonhada cultura da morte que encaminha os jovens para um caminho sem saída”, disse.

Ela fez um apelo para os candidatos do país não manipulem os jovens durante as eleições. “É uma falta de respeito à inteligência dos jovens”, disse. O país terá eleições presidenciais em maio do próximo ano, além de escolher seus deputados e senadores. Desde o impeachment em menos de dois dias do ex-presidente Francisco Lugo, considerado por muitos um golpe de Estado institucional, o vice-presidente assumiu o governo e está à frente do país até as eleições.

“Não temos medo de sacrifícios, mas de uma vida sem sentido”, afirmou Micaela, em referência ao discurso do papa Bento XVI aos jovens brasileiros em 2007 no Pacaembu em São Paulo.  

Cruz do Paraguai
Desde 2006, uma réplica da Cruz da JMJ peregrina a cada ano por uma das 10 dioceses do Paraguai. Durante todo o ano, ela vai em paróquias e comunidades mais isoladas. Durante Peregrinação Nacional dos Jovens é feita a entrega oficial de uma diocese para outra. No sábado foi a vez dos jovens de San Pedro passarem o símbolo da redenção e da unidade da juventude paraguaia aos jovens da diocese de Benjamin Aceval. 

A Cruz da JMJ e o Ícone de Maria seguem sua peregrinação pelo Paraguai. O primeiro domingo do Advento foi o dia da região sul em três dioceses: Carapeguá, San Juan Bautista de las Misiones e Encarnación. Uma vigília na catedral de Carapeguá começou o terceiro dia da peregrinação, seguida por uma missa e um momento dos jovens de San Juan Bautista e uma caravana pela costa de Encarnación.

(Fonte: Jovens conectados)