Primeira audiência do ano, menos numerosa, mas repleta de entusiasmo

Papa convida a viver o batismo todos os dias. Circenses atuaram por alguns minutos na Praça de São Pedro

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 355 visitas

A primeira audiência geral de 2014 começou, como habitualmente, com a saudação atenta do Papa Francisco dirigida aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro. As baixas temperaturas não impediram que durante mais de 30 minutos o Santo Padre percorresse a Praça saudando os peregrinos vindos de todas as partes do mundo, que apesar de menos numerosos, mantiveram a alegria em alta.

Durante o percurso, o Papa recebeu uma camiseta do time de futebol de Roma das mãos de um fiel. Um sacerdote, muito emocionado, correu até o papa- móvel para cumprimentar o Papa, que o convidou a sentar-se no Jeep durante alguns segundos.

Os participantes do Festival Internacional Roma Capitale Golden Circus levaram um pouco de música e cor para a Praça. Alguns deles atuaram para o Papa após as saudações finais. Com trajes coloridos, acompanhados por alguns animais, ao som de trompetas e pratos, eles fizeram por alguns minutos malabarismos e acrobacias, despertando o sorriso do Santo Padre.

Neste ano de 2014, o Papa deu inicio ao ciclo de catequeses sobre os sacramentos. Hoje, o bispo de Roma falou sobre o batismo. Como em outras ocasiões, o Papa questionou os fiéis sobre a data de batismo e deu a tarefa de averiguar “a bonita data do batizado”.

Eis o resumo da catequese:

“A Igreja é o sacramento universal da salvação que prolonga, na história, a acção salvífica e vivificante de Cristo. Na verdade, é Ele que regenera continuamente a comunidade cristã, com a força do Espírito Santo, e envia a Igreja a levar a todos a salvação com palavras e gestos, com a pregação e os sacramentos. O Baptismo, juntamente com a Eucaristia e a Confirmação, forma a chamada «iniciação cristã», que nos configura com o Senhor Jesus e faz de nós um sinal vivo da sua presença e do seu amor.”

“Ninguém pode baptizar-se a si mesmo. Podemos pedir e desejar o Baptismo, mas sempre precisamos de alguém que nos administre este sacramento em nome do Senhor. É um dom concedido num contexto de solicitude e partilha fraterna. Na verdade, não se trata de uma mera formalidade, mas, no Baptismo, somos imersos naquela fonte inexaurível de vida que é a morte de Jesus, o maior acto de amor de toda a história; e, em virtude deste amor, podemos viver uma vida nova de comunhão com Deus e com os irmãos. Peçamos ao Senhor que nos faça experimentar cada vez mais, na vida diária, a graça recebida no Baptismo. Quando os outros se cruzarem connosco, possam encontrar verdadeiros filhos de Deus, verdadeiros irmãos e irmãs de Jesus, verdadeiros membros da Igreja.”

Ao final, como de costume, o Papa saudou os fiéis provenientes de vários locais e aos peregrinos de língua portuguesa ele encorajou “a todos a viver o vosso Baptismo como realidade actual da vossa existência. Não deixeis que vos roubem a vossa identidade cristã! Com estes votos, invoco sobre vós e vossas famílias a abundância das bênçãos do Céu”.

(Tradução e adaptação: MEM)