Primeira congregação geral cardinalícia: ambiente sereno e construtivo

Cardeais preparam mensagem para Bento XVI

Roma, (Zenit.org) Sergio Mora | 1262 visitas

A primeira congregação geral dos cardeais aconteceu na manhã de hoje na Sala do Sínodo, situada acima do Auditório Paulo VI, lugar onde o papa realiza as tradicionais audiências das quartas-feiras no Vaticano.

“A congregação se realizou num ambiente muito sereno e construtivo, com grande senso de comunhão”, comentou o porta-voz vaticano, pe. Federico Lombardi.

Um vídeo projetado na Sala de Imprensa da Santa Sé mostrava a entrada dos cardeais em sua primeira congregação geral. Os purpurados, vestidos com hábito preto, solidéu e faixa vermelha, conversavam com informalidade antes do início oficial da reunião, que foi aberta com a oração do Veni Sancte Spirituslogodepois que as câmeras de televisão se retiraram do recinto.

“A congregação geral foi presidida pelo cardeal decano Angelo Sodano, que falou para uma assembleia de 142 cardeais, dos quais 103 são eleitores. Faltam alguns eleitores ainda, que devem chegar em breve”, disse Lombardi. Está prevista a participação de 115 dos 117 eleitores, dado que os cardeais de Jacarta, na Indonésia, e Edimburgo, na Escócia, já confirmaram sua ausência.

“O decano propôs ao colégio de cardeais a preparação de uma mensagem para o papa emérito Bento XVI”, prosseguiu o pe. Lombardi, acrescentando que a mensagem será divulgada assim que ficar pronta. A proposta foi recebida com "grande afeto e apreço". 

“Também foi feito o juramento, de acordo com a constituição apostólica Universi Dominici Gregi, diante dos evangelhos, na mesa presidencial, com a fórmula em latim”.

A fórmula de juramento diz:“Nós, cardeais da Santa Igreja Romana, da ordem dos bispos, da ordem dos presbíteros e da ordem dos diáconos, prometemos, nos comprometemos e juramos, todos e cada um, observar exata e fielmente todas as normas contidas na constituição apostólicaUniversi Dominici Gregis,do sumo pontífice João Paulo II, e manter escrupulosamente o segredo a respeito de tudo o que de qualquer forma disser respeito à eleição do Romano Pontífice ou, por sua natureza, durante a vacância da Sé Apostólica, vier a demandar o mesmo segredo”.

“Os cardeais”, relatou Lombardi, “se posicionaram de acordo com a sua pertença às ordens episcopal, presbiteral e diaconal”. A diferenciação acontece porque cada cardeal, no momento da sua nomeação, recebe uma sede, um título ou uma diaconia em igrejas situadas em Roma, já que o papa é o bispo da diocese que abrange a Cidade Eterna.

Também foi eleita hoje a primeira congregação particular, que governará o Vaticano, juntamente com o camerlengo, cardeal Tarcisio Bertone, no tocante a questões ordinárias que não são reservadas ao papa. Os três cardeais eleitos são Giovanni Battista Re, da ordem dos bispos; Crescenzio Sepe, da ordem dos presbíteros; e Franc Rodé, da ordem dos diáconos.

Treze cardeais falaram brevemente, em “intervenções densas e precisas, que duraram três quarto de hora cada uma”, informou o porta-voz vaticano para a língua espanhola, José María Gil Tamayo.

Durante a tarde, aconteceu a primeira das duas meditações oferecidas aos cardeais, dirigida pelo padre capuchinho pregador da Casa Pontifícia, Raniero Cantalamessa.

O padre Lombardi leu a lista dos cardeais que chegarão em breve e confirmou que a data do conclave ainda não está decidida.

O porta-voz informou também que são possíveis algumas apresentações dos atuais chefes de dicastérios ao colégio de cardeais sobre temas que retratam a situação da Igreja e casos particulares.

Até o último sábado, foram registrados de modo provisório mais de 3.600 jornalistas e técnicos de meios de comunicação. Contando-se os profissionais creditados permanentes, o número de pessoas do mundo de comunicação que estão atuando no Vaticano chega a mais de 4.300.