Primeiro retiro para responsáveis de organizações de Ajuda da Igreja

Organizado pelo Conselho Pontifício «Cor Unum»

| 563 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 21 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- Convencido de que a obra de ajuda dos cristãos deve refletir o amor de Deus por cada homem e mulher, o Conselho Pontifício «Cor Unum» organiza pela primeira vez um grande retiro espiritual para os responsáveis das obras de ajuda das dioceses.

Esta primeira experiência se dirige às duas Américas e será celebrada de 1º a 6 de junho na cidade mexicana de Guadalajara. As meditações serão oferecidas pelo Pe. Raniero Cantalamessa, OFM Cap.

O cardeal Paul Josef Cordes, presidente do Conselho Pontifício «Cor Unum», explicando à Zenit as motivações do retiro, recorda que com sua primeira encíclica, «Deus caritas est», o Papa Bento XVI sublinhou a relação íntima que se dá entre a obra de ajuda e a manifestação do amor de Deus sobretudo ante a miséria e as dificuldades.

«Jesus Cristo sempre fez o bem em relação à proclamação da Palavra», recorda o cardeal. Isso é o que diferencia os cristãos, acrescenta: «temos a Cruz Vermelha, temos instituições das Nações Unidas... E tudo isso é muito bom. Mas queremos ter uma atitude diferente».

As instituições caritativas da Igreja também buscam frear, com os meios materiais e inclusive políticos, o sofrimento do mundo, declara.

Mas «o específico do cristão consiste em ir além da miséria humana. Com freqüência, inclusive a ajuda material já não é de ajuda, em particular quando as pessoas atravessam dificuldades nas quais não é possível ajudá-las com o pão, com um teto ou com medicamento. Podemos então dar uma esperança, falando da fé, rezando com um moribundo e consolando-o com o bem que Deus nos preparou na vida eterna».

O cardeal explica que este retiro, que começa com América do Norte e do Sul, será seguido no futuro por iniciativas análogas em outros continentes.

«Em um mundo pragmático, com freqüência também superficial, apressado e pouco sensível, temos de redescobrir as raízes de nossas qualidades: um coração que escuta e a força da Palavra de Deus», declara o cardeal Cordes.

Ao explicar o motivo pelo que escolheu a cidade de Guadalajara, afirma: «Queríamos um lugar que estivesse no centro das duas Américas, e para aproximar-nos um pouco mais do sul, escolhemos o México».

Para mais informação, pode-se enviar uma mensagem a info@corunum.va.