Projeto de lei britânico pretende reescrever o conceito de pai

Lideres católicos pedem a Gordon Brown revisar a proposta

| 495 visitas

LONDRES, terça-feira, 17 de julho de 2007 (ZENIT.org).- As duas principais personalidades católicas da Escócia, o cardeal Keith O’Brien e o arcesbipo Mario Conti, escreveram ao primeiro-ministro Gordon Brown, pedindo-lhe que revise urgentemente o calendário da próxima consulta sobre a Lei de tecido humano e embriologia, argumentando que elementos do projeto de lei poderiam ser muito nocivos para o bem-estar em largo prazo das crianças.



Em sua carta, enviada em 13 de junho passado, sublinham a proposta de eliminar a atual referência na legislação à necessidade da criança de um pai, dizendo que «isto significa que antes de proceder ao tratamento de fertilidade, não haverá nenhum requisito, nem orientação, para considerar a necessidade de uma criança de uma pai».

Afirmam que a proposta na parte 3 da Lei constitui «uma tentativa de varrer e reescrever os conceitos tradicionais de paternidade e de família».

O cardeal O’Brien e o arcebispo Conti concluem: «Cremos que o Estado não deveria negar a necessidade das crianças de um pai nem ignorar o valor dos resultados das pesquisas sociais que explicam a noção de que o planejamento deliberado de ter crianças sem pais é inimigo de seu bem-estar a longo prazo».