Quanto durará o conclave?

Nos últimos 150 anos, o mais longo durou cinco dias

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 970 visitas

Nesta terça-feira, os 115 cardeais eleitores entraram em conclave. Um deles será papa.

Depois de muitas cenas surpreendentes, envolvendo a renúncia de Bento XVI ao pontificado, a convocação dos cardeais a Roma e uma semana intensa de congregações gerais, começam agora as votações.

Ontem fez exatamente um mês desde aquela segunda-feira, 11 de fevereiro, em que Bento XVI anunciou ao mundo a sua renúncia ao papado. Depois de um momento inicial de consternação, o colégio dos cardeais parece ter recuperado o controle da situação: as congregações gerais se desenvolveram em clima de serenidade e testemunharam pronunciamentos vivazes e francos.

Os candidatos mais prováveis ao papado, ou seja, os que contam com significativo consenso já no primeiro escrutínio, estão agora bem identificados. Ninguém sabe, porém, quanto pode demorar até o anúncio do próximo pontífice. Mesmo assim, as votações para o início do conclave, os acordos que parecem ter sido alcançados entre os grupos continentais, as declarações serenas de alguns cardeais e a necessidade de voltar para as dioceses a tempo de celebrar a Semana Santa indicam que quatro ou cinco votações possivelmente sejam suficientes para termos o novo papa.

Ao longo dos últimos 150 anos, a eleição de cada novo pontífice foi feita em prazos curtos, desde um mínimo de dois dias até um máximo de cinco. Os mais rápidos a ser eleitos foram Leão XIII (1878) e Pio XII (1939), com apenas dois dias de conclave e três votações. Pio XI (1922), por sua vez, tornou-se papa depois de cinco dias de conclave e 14 escrutínios.

Esta é a cronologia da eleição dos papas dos últimos 150 anos:

Pio IX (Giovanni Maria Mastai Ferretti) foi eleito em 1846, depois de apenas quatro votações. Os eleitores eram cinquenta.

Leão XIII (Vincenzo Gioacchino Pecci) foi eleito em 1878 com somente dois dias de conclave e três escrutínios.

São Pio X (Giuseppe Melchiorre Sarto) foi eleito em 1903, depois de sete votações.

Bento XV (Giacomo della Chiesa) foi eleito em 1914 após dez votações.

Pio XI (Achille Ratti), em 1922, foi eleito após cinco dias de conclave e catorze escrutínios. Foi o conclave mais longo dos últimos 150 anos.

Pio XII (Eugenio Pacelli) foi eleito em 1939 depois de apenas dois dias e três votações.

João XXIII (Angelo Giuseppe Roncalli) foi eleito em 1958 após onze votações.

Paulo VI (Giovannni Battista Montini) foi eleito em 1963 depois de seis votações. Na ocasião, os cardeais eleitores eram oitenta.

João Paulo I (Albino Luciani) foi eleito em agosto de 1978, depois de quatro escrutínios. Os eleitores eram 111.

O beato João Paulo II (Karol Wojtyla), eleito em outubro de 1978, tornou-se papa depois de oito votações.

Por fim, Bento XVI (Joseph Ratzinger) foi eleito em 2005 depois de quatro votações. Os eleitores eram 115.