Quaresma: mensagem do bispo de Leiria-Fátima

| 1334 visitas

ROMA, terça-feira, 8 de março de 2011 (ZENIT.org) - Apresentamos a mensagem que o bispo de Leiria-Fátima, Dom António Marto, divulgou para a Quaresma de 2011.

* * *

Quaresma com as cores da caridade

Eis-nos de novo na Quaresma que nos prepara e conduz à celebração da Páscoa da Ressurreição. É um tempo litúrgico muito precioso e importante para cuidar da qualidade da nossa vida espiritual; tempo especial de recolhimento e de oração para discernir a presença de Deus na nossa vida, para aferir a verdade e a autenticidade das nossas opções, dos nossos comportamentos, do nosso estilo de vida à luz da Palavra de Deus e dos desafios do nosso tempo.

Hoje corremos o risco de nos deixar seduzir pelo estilo consumista, na busca de um bem estar meramente material, que um autor descreve de modo acutilante: “O consumismo converteu-se na ‘nova religião’ do homem moderno. A meta absoluta consiste em possuir e gozar: eis a sua doutrina. Para isso é necessário trabalhar e ganhar dinheiro: eis a sua ética e os seus valores. As grandes superfícies são as novas catedrais: eis os seus lugares de culto. Os praticantes acodem à sua compra semanal: eis o preceito de fim de semana. Vivem com devoção intensa as grandes festas (Natal, Ano Novo, férias, casamentos, dia do pai, da mãe, dos namorados...)... Temos de tudo e carecemos de paz e de alegria interior” ( J. A. Pagola). 

Neste horizonte cultural, o Santo Padre na sua mensagem de Quaresma convida-nos a reavivar – a viver de novo ou mais intensamente – a graça do nosso baptismo, a vida nova em Cristo, nestes termos: “deixar-se transformar pela acção do Espírito Santo, como São Paulo, no caminho de Damasco; orientar com decisão a nossa existência segundo a vontade de Deus; libertar-nos do nosso egoísmo, superando o instinto de domínio sobre os outros e abrindo-nos à caridade de Cristo”.

Quaresma com as cores da caridade

O percurso pastoral da nossa Diocese neste ano é orientado à vivência e ao testemunho da caridade. “A caridade transformará o mundo, porque Deus é Amor” (Bento XVI). Queremos pois, que o percurso quaresmal ajude a embelezar a nossa existência pessoal e a vida das nossas comunidades com as cores da caridade. Estas cores brilham para nós no rosto de Cristo, nos sentimentos do seu coração terno, compassivo e misericordioso; e hão-de brilhar em nós, no nosso ser e no nosso agir, na medida em que nos revestirmos dos sentimentos de Cristo.

Através das práticas tradicionais da oração, do jejum e da esmola, a Quaresma educa-nos a viver a beleza e a riqueza da caridade como relação fraterna, doação, partilha e serviço de amor concreto a quem necessita de ajuda.

Momento especial de oração comunitária será certamente a peregrinação diocesana ao Santuário de Fátima, no dia 10 de Abril, sob o lema: “Com Maria e os Pastorinhos, aprendemos o serviço humilde da caridade”. Apelo à participação de todos os fiéis, incluindo os sacerdotes, os religiosos e as religiosas.

Avivar a chama da caridade: o Retiro popular

A oração é um ir à fonte da caridade onde recebemos a luz, a coragem e a força de amar. Como nos anos anteriores, oferecemos o Retiro do Povo de Deus com o título “Avivar a chama da caridade”, sob a forma de leitura orante da Palavra de Deus. É um meio maravilhoso e importantíssimo para ler e meditar os Evangelhos, compreender o grande amor que Jesus nos mostra e comunica na sua vida, paixão e morte. A finalidade deste retiro é ajudar a formar em nós “um coração que vê onde há necessidade de amor e actua em consequência” (Bento XVI).

A caridade em nós dilata-se na medida em que compreendemos como Jesus amou e tratou os pequenos, os frágeis, os pobres, os sofredores, os marginalizados, os inimigos e na medida em que nos deixamos contagiar pelo testemunho dos que procuraram dar corpo à caridade nas mais variadas situações: “os santos da caridade”.

Doação e partilha: Fundo Social Solidário e Voluntariado

O jejum e a esmola educam-nos a superar o egoísmo para viver na lógica da doação, do amor e da partilha com o próximo em necessidade. Nesta lógica, a renúncia quaresmal dos cristãos da nossa Diocese será destinada ao Fundo Social Solidário instituído pela Conferência Episcopal Portuguesa. Este Fundo é de carácter emergente em ordem a responder às situações de carência mais graves neste momento de crise socioeconómica. Implica todos os cristãos e é responsabilidade de todas as comunidades.

Nesta mesma lógica apelo a que o tempo da Quaresma seja também de sensibilização e proposta de percursos de voluntariado, adequados à idade e à condição das pessoas, para “oferecer à comunidade um tempo de gratuidade ao serviço dos outros”, particularmente dos mais abandonados e esquecidos. 

Neste Ano Europeu do Voluntariado, faço votos de que o ano de 2011 “constitua uma oportunidade para os cidadãos, nomeadamente os cristãos, com especial referência aos mais novos, a serem expressão do amor gratuito de Deus pelos últimos” (Nota Pastoral da Conferencia Episcopal).

Aproveito também esta ocasião para incentivar os jovens das nossas comunidades a participar nas próximas Jornadas Mundiais da Juventude, no mês de Agosto, em Madrid, que contribuirão para abrirem o seu coração às dimensões universais do amor.

Confiemos à Virgem Mãe o caminho da nossa conversão quaresmal: que Ela nos ajude a abrir o coração ao Senhor e a seguir as Suas inspirações e os Seus apelos no serviço humilde da caridade.

Leiria, 4 de Março de 2011

† António Marto, Bispo de Leiria-Fátima