"Que as relações entre a Igreja ortodoxa russa e a Igreja católica romana progridam na direção certa"

Entrevista com o metropolita Hilarion de Volokolamsk, o ministro de assuntos exteriores do patriarcado de Moscou

Roma, (Zenit.org) Sergio Mora | 995 visitas

O metropolita Hilarion de Volokolamsk, presidente do Departamento para as Relações Eclesiásticas Exteriores do Patriarcado de Moscou, participou de uma jornada ecumênica na sala Pio XI, em Roma, organizada conjuntamente pelo Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos, pelo Departamento de Relações Exteriores do Patriarcado de Moscou e pelo Pontifício Conselho para a Família, sobre o tema "Os ortodoxos e os católicos juntos pela família". Hilarion tem uma agenda intensa de atividades em Roma nos próximos dias.

Ontem, o metropolita se reuniu com o santo padre e lhe apresentou o livro "Verbo de Deus e palavra do homem", que recolhe vários pronunciamentos do filósofo Sergei Averintsev. À noite, presidiu um concerto pela paz, realizado com o apoio do Pontifício Conselho para a Cultura.

Publicamos a seguir a entrevista que ZENIT fez com Hilarion na manhã de hoje.

ZENIT: Como foi o encontro com o santo padre Francisco?

--O encontro foi muito bem. Falamos durante uma hora e tratamos de muitos assuntos. Falamos do diálogo bilateral entre a Igreja ortodoxa russa e a Igreja católica romana, mas também sobre o diálogo ortodoxo em que participam todas as igrejas ortodoxas.

ZENIT: E sobre as raízes cristãs do oriente e do ocidente?

--Falamos dos cristãos nos países em que eles são perseguidos e ameaçados e da necessidade de trabalhar para ajudar os cristãos perseguidos. Falamos também dos valores cristãos que somos chamados a defender, do valor da família, que é o tema deste congresso.

ZENIT: Quais são as perspectivas ecumênicas entre as duas Igrejas?

--Eu acho que as relações entre a Igreja ortodoxa russa e a Igreja católica romana estão progredindo na direção certa, em posições comuns que se referem às questões morais. Vamos desenvolver as nossas relações nos campos em que podemos testemunhar o nosso patrimônio cristão comum.

ZENIT: E sobre a importância da oração entre os cristãos para apoiar a unidade dos cristãos?

--A Igreja é uma comunidade de gente que reza. Sem oração, nenhum homem pode ser chamado de cristão. Tudo o que nos preocupa tem que ser levado para as nossas orações.

Neste ponto da entrevista, chegaram colegas de outros meios de comunicação. A jornalista da Rádio Vaticano perguntou sobre os desafios da família no mundo ortodoxo e ouviu esta resposta de Sua Eminência:

"São os mesmos [desafios] que existem para o mundo católico", devido à influência da destruição dos valores gerada pela ideologia liberal moderna. “Eles tentam persuadir os jovens de que a família entre um homem e uma mulher abertos à vida é um conceito obsoleto". Hilarion afirmou que, graças à pastoral familiar, alguns lugares da Rússia registram hoje taxas altas de crescimento demográfico, semelhantes às de Bangladesh.

Outro jornalista perguntou sobre o tempo necessário para um encontro entre o papa e o patriarca ortodoxo. "Não estamos preparados ainda para dizer quando e onde acontecerá esse encontro, mas estamos prontos para trabalhar nisto. Que seja uma preparação não só do ponto de vista do protocolo. E por isso temos que elaborar o conteúdo desse encontro".