Quem é que enche os berços?

O último número da revista "Sì alla Vita" traz ampla reportagem sobre as atividades dos Centros de Ajuda à Vida e do projeto Gemma na Itália

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 302 visitas

Um preconceito bastante difundido diz que o movimento pela vida seria formado por moralistas que só sabem falar contra.  É verdade que as pessoas a favor da vida se opõem a políticas abortistas, à eutanásia, à eugenia, à seleção de bebês, à barriga de aluguel... Mas a realidade mais profunda do Movimento pela Vida é a atividade de caridade focada em particular nos recém-nascidos, nas mães e nas famílias.                         





Basta conhecer a Sì alla Vita (siallavita@mpv.org), revista mensal que há trinta e seis anos conta boas notícias do mundo todo.

Neste mês, a edição da Itália fala das boas notícias para a vida, para as mulheres e para as famílias em 2013. Um dossiê informa sobre vidas salvas e sobre as mães e famílias ajudadas pelos Centro de Ajuda à Vida (CAV), pelas casas de acolhimento e pelo projeto Gemma.

Poucos sabem, mas a Itália tem cerca de 4.000 voluntários silenciosos dos CAV, que, todo dia, acolhem e ajudam mães em dificuldade, transformando intenções de aborto em nascimentos que enchem o mundo de alegria e de esperança.

Os CAV salvaram 16.224 crianças em 2012, totalizando, desde 1975, 155.000 crianças salvas; ajudaram 35.870 mulheres, das quais 41% estavam grávidas.

São 48 as casas de acolhimento, geridas por 34 associações locais, e 20.000 as crianças nascidas graças ao projeto Gemma.

É de grande importância a linha 0800 - S.O.S. Vida, para mães em dificuldade na Itália: um número de telefone que salva vidas, escuta, compreende, acolhe e põe em contato com a rede de assistência dos CAV.