R. D. Congo: insegurança e o aumento da pobreza em Goma

Os missionários salesianos dão alimentos e atenção médica aos mais vulneráveis

Brasília, (Zenit.org) | 486 visitas

As promessas e esperanças de paz não chegam em Kivu do Norte (República Democrática do Congo), como anunciam os missionários salesianos presentes no país há mais de 25 anos.

"A realidade de Goma é que a insegurança e a miséria aumentam. Durante o dia tudo parece normal, mas há muitas armas de fogo, pela noite tem tiroteios e muita delinquência”, explica Piero Piero Gavioli, diretor do Centro Salesiano Dom Bosco Ngangi, com mais de 3.500 crianças e jovens que recebem educação e atenção.

"A debilidade das autoridades e a ausência do governo não ajudam a melhorar a situação na região, onde ainda existem ataques, roubos, estupros... As famílias abandonam os seus lares no campo e vão à cidade”, acrescenta o missionário salesiano.

Na cidade, as coisas não são melhores: aumento dos preços dos alimentos, fome, falta de cuidados sanitários e de acesso aos medicamentos... “No centro Dom Bosco procuramos ajudar estas famílias que estão sofrendo. Oferecemos alimentos, atendemos as crianças desnutridas, mais de uma centena nestes momentos, e na nossa pequena clínica tratamos as pessoas que mais precisam”, destaca o missionário.

O centro Dom Bosco Ngangi tem mais de 25 anos trabalhando e atendeu a milhares de famílias e mais de 35 mil jovens se formaram nas suas salas. Hoje, a situação é difícil, mas os missionários salesianos continuam oferecendo sua ajuda à população mais vulnerável e continuam trabalhando para que os direitos das crianças sejam respeitados.

Desde as Missões Salesianas, juntam-se ao pedido de ajuda e ao pedido para que a comunidade internacional trabalhe por uma paz duradoura na República Democrática do Congo.