Rádios Católicas transmitem celebração de canonização do Pe. José de Anchieta, SJ

Serão 240 emissoras e 7 geradoras que transmitirão direto de São Paulo

São Paulo, (Zenit.org) Redacao | 404 visitas

A Rede Católica de Rádio formará uma rede nacional  com a Rádio Aparecida, para a transmissão, ao vivo, da Santa Missa em ação de graças pela canonização do Padre José de Anchieta, na Catedral da Sé, em São Paulo.

As emissoras redistribuirão o sinal via satélite, a partir de  suas bases geradoras da RCR - Rede Católica de Rádio: RedeSul de Rádio, Rádio Canção Nova, Rede Pai Eterno, Rede Scalabriniana e Rádio Aparecida, para a transmissão da Santa Missa de Canonização do Padre José de Anchieta, que acontecerá dia 06 de Abril, das 11h às 13h, diretamente da Catedral da Sé, em São Paulo. A Rádio Aparecida será a cabeça de rede, que enviará o sinal para todo o Brasil.

Para o presidente da RCR, Frei João Carlos Romanini, “o principal objetivo da RCR, é de realizar a comunhão entre centenas de emissoras, trabalhando de forma colaborativa e utilizando a força criativa do rádio para apoiar as pessoas em sua fé e para manter viva a mensagem do evangelho, com a sua inspiração motivadora de fraternidade, de justiça e de paz”. Continua Romanini, “é  a segunda vez que formaremos uma grande rede, depois da esplêndida experiência vivida na JMJ Rio2013. Agora surgiu esta possibilidade de se unir novamente em rede com as nossas bases geradoras para servir a Igreja neste momento de festa para o Brasil pela canonização do Padre José de Anchieta, “Apóstolo do Brasil!”.

“Este momento foi longamente esperado por esta Igreja que está em São Paulo. Grande missionário, São José de Anchieta deu o testemunho de uma vida santa, já reconhecido assim enquanto ainda vivia; por isso, logo após o seu falecimento, em 1597, foi aclamado como “Apóstolo do Brasil!” escreve o Cardeal dom Odilo Scherer em sua mensagem.

O Papa Francisco, conhecedor da história de Anchieta e dos primeiros missionários jesuítas no Brasil, que acolheu benevolamente o pedido da Igreja e, bem depressa, deu o reconhecimento oficial a Anchieta como “santo”.

História

José de Anchieta nasceu em 19 de março de 1534 em Tenerife, Ilhas Canárias, Espanha. Em 1551 ingressou na Companhia de Jesus, em Portugal e dois anos depois embarcou com destino ao Brasil, na comitiva de Duarte da Costa - segundo Governador Geral - para catequizar os índios.

Em 25 de janeiro de 1554 fundou, com o Pe. Manoel da Nóbrega, um colégio em Piratininga; aos poucos se formou um povoado ao redor do colégio, batizado por José de Anchieta, de São Paulo.

Foi mandado para São Vicente para catequizar os índios e com eles aprendeu a língua Tupi. Além de instruir os índios, Padre José de Anchieta foi professor dos noviços que entravam para a Companhia de Jesus no Brasil. Viveu em São Paulo, Rio de Janeiro e Espirito Santo. Em 1595 escreveu Arte da gramática da língua mais usada na costa do Brasil, a primeira gramática do Tupi - Guarani.

Escreveu diversas poesias, cartas e autos. A poesia de José Anchieta é marcada por conceitos morais, espirituais e pedagógicos. Compôs primeiro em sua língua materna, o castelhano, e em latim e posteriormente traduziu para o português e para o tupi. Faleceu em 9 de junho de 1597 no Espirito Santo.

 RCR/SignisBrasil