"Rasgai os corações, não as vestes"

Homilia da Quarta-Feira de Cinzas: papa Bento XVI nos convida a "voltar para Deus com todo o coração"

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 2093 visitas

"Muitos estão prontos a 'rasgar as vestes' diante de escândalos e injustiças, naturalmente cometidos por outros, mas poucos parecem dispostos a agir em seu próprio coração, em sua própria consciência e nas suas próprias intenções, deixando que Nosso Senhor transforme, renove e converta".

As palavras são do papa Bento XVI, ditas ontem, 13 de fevereiro, na homilia da missa celebrada na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

No início da quaresma, em frente ao túmulo do Apóstolo Pedro, o papa invocou a sua intercessão para o caminho da Igreja e agradeceu a todos, especialmente aos fiéis da diocese de Roma, enquanto se prepara para "encerrar o seu ministério petrino".

Partindo das leituras do dia, o bispo de Roma mencionou o forte apelo do profeta Joel ao povo de Israel: "Assim diz o Senhor: voltai para mim de todo o vosso coração, com jejuns, prantos e lamentos". O papa destacou a frase "de todo o vosso coração", explicando que "há uma força que não reside em nossos corações, mas que emana do coração de Deus mesmo. É a força da sua misericórdia".

Depois de confirmar que a dimensão comunitária é um elemento essencial na vida cristã, Bento XVI afirmou que o rosto da Igreja "é às vezes deformado". "Penso em particular nos pecados contra a unidade da Igreja, nas divisões no corpo da Igreja". Por isso, "viver a quaresma com mais intensidade e evidente comunhão eclesial, superando individualismos e rivalidades, é um sinal humilde e precioso para quem está longe da fé ou indiferente".

O papa explicou que a quaresma e a páscoa são "uma oportunidade única" para a nossa salvação, porque Cristo quis caracterizar a sua vida com tudo o que é humano, "assumindo até mesmo o pecado dos homens".

"A reconciliação que nos é oferecida teve um preço altíssimo", disse o papa, porque "no mergulho de Deus no sofrimento humano e no abismo do mal está a raiz da nossa justificação. (...) O retorno a Deus com todo o nosso coração no caminho quaresmal passa pela cruz, pelo seguir a Cristo no caminho do Calvário, pelo dom total de nós mesmos".

Para retornar a Deus de todo o coração, Bento XVI recordou que Jesus menciona três práticas fundamentais previstas na lei mosaica: a oração, a esmola e o jejum.

O papa terminou a homilia exortando: "Que ressoe com força em nós o convite à conversão, a voltar para Deus com todo o nosso coração, acolhendo a sua graça que nos torna homens novos, com a surpreendente novidade que é participação na própria vida de Jesus".