Reino Unido: resposta inadequada a abusos sexuais

Provincial dos rosminianos pede desculpas, após documentário da BBC

| 1226 visitas

LONDRES, terça-feira, 28 de junho de 2011 (ZENIT.org) - Após a transmissão no Reino Unido de um documentário sobre os abusos a 35 meninos cometidos por quatro sacerdotes rosminianos na década de 1960, o provincial da Ordem na Inglaterra divulgou um pedido de perdão pelos abusos e por “nossa resposta inadequada”.

O documentário, intitulado Vítimas dos abusos: rompendo o silêncio, foi transmitido na semana passada pela BBC1 e teve como protagonistas quatro sacerdotes rosminianos que abusaram física e sexualmente de meninos encomendados a seus cuidados em uma escola na África e em outra no Reino Unido.

Entre os padres que abusaram está Christopher Kit Cunningham (1931-2010), durante muitos anos um popular pároco de St. Etheldreda's, em Londres. Os demais são os padres Bernard Collins, Douglas Raynor e William Jackson.

Em 2009, um grupo dos meninos que sofreram abusos reuniu-se com o padre David Myers, provincial dos rosminianos no Reino Unido, para apresentar denúncia dos abusos.

O padre Myers tentou reconciliar as vítimas com os agressores, mas as vítimas disseram que não era o bastante.

Eles afirmaram que quando o padre Cunningham morreu, no ano passado, não houve menção aos seus muitos atos de abuso.

Os obituários que citavam as piedosas virtudes do sacerdote foram uma das razões pelas quais as vítimas decidiram processar a Ordem dos rosminianos em milhões de dólares.

O padre David Myers declarou em uma nota no portal da ordem que pede perdão “sem reservas em nome dos irmãos rosminianos do Reino Unido a todos que têm sofrido”. “Estamos consternados”, afirma. 

“Eu e todos meus irmãos estamos profundamente afetados pelo que aconteceu e reconhecemos nossa resposta inadequada”, afirma.

“Estamos comprometidos com a assistência pastoral e o apoio a todos que sofreram abusos e com os procedimentos estabelecidos pela National Catholic Safeguarding Commission”.

Uma declaração dessa Comissão afirmou ter reconhecido “com preocupação e profundo pesar a dor e o dano que alguns membros da congregação rosminiana provocaram em tantas pessoas”.

“Queremos alentar as vítimas que sofreram qualquer tipo de abuso por parte de membros da Igreja a dar um passo adiante e fazer que sejam ouvidas e compreendidas suas histórias”, afirma a Comissão.

“A Ordem está trabalhando para assegurar que suas práticas de proteção estejam em plena consonância com as políticas e procedimentos da Igreja”, disse o provincial.