Relatório 2013 do Observatório Contra a Intolerância aos Cristãos na Europa

241 casos documentados: porém, os governos não dão os números completos sobre o tema

Roma, (Zenit.org) Redacao | 432 visitas

O relatório 2013 elaborado pelo Observatório Contra a Intolerância e Discriminação aos Cristãos, publicado na última semana, aponta 241 casos documentados, individuais ou institucionais, e inclui recomendações aos governos, instituições internacionais e à população.

O Observatório Contra a Intolerância e Discriminação aos Cristãos é uma organização não governamental com sede na Áustria. Em seu site, é possível ter acesso também os relatórios de 2011 e 2012.

O Dr. Gudrun Kugler, diretor do Observatório, afirma: “O aumento da laicização nas sociedades europeias vem tirando espaço do cristianismo”. Kugler acrescenta que "alguns governos e atores da sociedade civil tentam excluir os cristãos" e observa que “inúmeros casos de intolerância contra os cristãos nem sequer são registrados”. O diretor ressalta ainda que, ao procurar a documentação e publicar esses casos, “nós esperamos criar consenso como um primeiro passo para encontrar uma solução”.

O informe de 2013 registra 241 casos de ódio ou intolerância contra os cristãos nas leis e na política, na arte e nos meios de informação.

Durante o último ano, o Observatório Contra a Intolerância e Discriminação aos Cristãos identificou na Europa um forte aumento dos casos de vandalismo contra lugares cristãos e de culto. “É difícil comparar dados estatísticos sobre os ataques contra os lugares cristãos porque os governos europeus geralmente não dão informações sobre a perseguição”. E completa: “Os poucos dados existentes indicam que esse tipo de incidente está aumentando”.

O Observatório registrou 133 casos contra lugares cristãos em 11 países europeus e enfatiza que a intolerância contra os cristãos no setor político e jurídico é registrada especialmente na limitação do direito à objeção de consciência e à liberdade de expressão, nas políticas discriminatórias, na limitação dos direitos dos pais de decidir sobre a educação sexual dos filhos e no âmbito da liberdade de reunião.

No ano passado, o relatório destacou 41 leis, em 14 países europeus, que limitam o exercício da liberdade religiosa para os cristãos. Além disso, os âmbitos da arte, dos meios de comunicação e até mesmo das redes sociais começam a se tornar focos de intolerância, com 15 casos registrados em 6 países.