Renovação Carismática: mensagem do papa para a 36ª Convocação em Rimini

Há também mensagens de dom Crociata, secretário geral da CEI, e do cardeal Rylko, presidente do Pontifício Conselho para os Leigos

Roma, (Zenit.org) Redacao | 703 visitas

"O papa Francesco recebeu com alegria a notícia de que neste ano acontecerá novamente, em Rimini, a Convocação da Renovação Carismática", diz a mensagem assinada pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, dirigida ao presidente da Renovação Carismática na Itália, Salvatore Martinez.

Agradecendo pelo convite que não foi possível aceitar, o Santo Padre destaca "um momento particularmente importante da Convocação", a "Festa da Misericórdia", e garante que "está unido espiritualmente à celebração da misericórdia de Deus, que o Senhor ressuscitado derramará em seus corações com abundância, dando-lhes o seu Espírito para a remissão dos pecados, e, ao mesmo tempo, a sua paz (cf. Jo 20,19-23)​".

Os milhares de participantes da Convocação da RC receberam ainda uma mensagem do secretário da Conferência Episcopal Italiana (CEI), dom Mariano Crociata, que descreveu o encontro como "uma iniciativa que evidencia a importância da Palavra que brota e que se torna experiência concreta de Deus na própria vida".

Crociata afirma apreciar em especial o Plano Nacional para a Nova Evangelização, que ele menciona dizendo que "a história da Igreja e das muitas vozes que a compõem nos mostra que não há areópagos em que o Evangelho não possa ser proclamado e testemunhado, a fim de se tornar princípio de uma nova partilha. É claro que este fermento, próprio da identidade da Renovação Carismática, dará frutos de bem e de discernimento", disse ele, assegurando a oração também do cardeal Angelo Bagnasco, presidente da CEI.

Chegaram a Rimini, ainda, as saudações do cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Pontifício Conselho para os Leigos: "Que a nova convocação seja (...) uma ocasião de renovado encontro com Cristo, escuta da Sua Palavra e compromisso para vivê-la nas condições cotidianas da vida, para realizar, em primeiro lugar, a nova evangelização que é tão necessária para o homem de hoje".