República Tcheca: Primeira pedra da capela da abadia da esperança

Católicos do mundo ajudam a comunidade cisterciense de Novy Mir

| 669 visitas

República Tcheca: Primeira pedra da capela da abadia da esperança


Católicos do mundo ajudam a comunidade cisterciense de Novy Mir

MILÃO, 19 de março de 2002 (ZENIT.org)- No dia 21 de março, será colocada a primeira
pedra da capela do novo mosteiro ciesterciense de Novy Mir na República
Tcheca.

Novy Mir, como já informou Zenit (Cf. ), nasce como uma «vértebra» da abadia
francesa de Sept-Fons, em Allier, que está recebendo muitas vocações jovens.
Depois que um grupo de jovens tchecos, guiados por um sacerdote tocaram o
mosteiro, decidiram fundar nestas terras.

Trata-se de um sinal de esperança para o catolicismo neste país considerado,
depois de alguns anos de comunismo, como um dos mais secularizados do mundo
(em algumas regiões a prática religiosa é de 1 por cento da população).

O jornal italiano começou uma campanha para arrecadar ajuda para a
construção da abadia. A surpresa foi a generosa resposta de muitos leitores.

Um idoso sacerdote lombardo fez uma grande doação com uma só condição: que
os monges fossem retirar o dinheiro em sua casa, pois não confiava nos
correios.

A obra é grande, e as doações todavia não cobrem os gastos. Ainda falta
muito para que a abadia possa ser terminada. As obras, na antiga feitoria
barroca de Novy Dur, em meio de um bosque dos Sudetes, seguiram com a
celeridade a pesar do difícil inverno desta região conhecida por seu clima
como a «pequena Sibéria».

«As obras --têm escrito os monges ao Avvenire», agradecendo a ajuda
recebida--, fizeram
bons progressos desde este outono. Conseguimos terminar a estrada de acesso
antes da neve (se não, na lama, os caminhões se teriam inundado).
Conseguimos também completar até o último minuto o teto da asa sul, enquanto
a neve começava a cair, com os operários que colocavam as telhas de ardósia
que logo se cobriam de um manto branco».

Uma vez colocado o teto, os operários puderam trabalhar dentro enquanto fora
o termômetro marcava menos trinta graus. Desde fevereiro, sessenta operários
trabalham na instalação da calefação, instalação elétrica e hidráulica.

Os arquitetos do estúdio de John Pawson de Londres, um nome famoso em todo
mundo, seguem passo a passo o ressurgir do esplêndido conjunto barroco.
Inclusive os monges trabalham como operários com capacetes na cabeça e tudo
e seguem rezando a Liturgia das Horas em um pequeno quarto com uma estufa.

A comunidade começará sua caminhada com quinze monges, quase todos
extremamente jovens.

Fora, o terrível inverno começa a ceder e a descongelar-se. No dia 21 de
março, o primeiro dia da primavera, se colocará a primeira pedra da capela
da nova abadia. Um sinal de renascimento no Leste da Europa.