Ressocialização em meio à Jornada Mundial da Juventude

Internos do sistema prisional de Brasília trabalham para a JMJ Rio 2013

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 1328 visitas

Paulo Fernando Melo, advogado, católico, vice-presidente da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família e um dos sócios proprietários da Jabuti Artigos Religosos (www.lojajabuti.com.br), em entrevista à Zenit, nos fala sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido com os irmãos sentenciados de Brasília na confecção de alguns produtos oficiais da Jornada Mundial da Juventude, que será realizada no Rio de Janeiro, em julho deste ano.

ZENIT: Como surgiu a ideia de agrupar apenados para a execução desse trabalho?

PF – Na verdade trata-se de colocar em prática uma das verdades contidas no evangelho de São Mateus (25:36) “Eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. Um aspecto importante é o aprendizado do ofício de artesão de peças religiosas. Ele poderá lhe ser útil ao regressar à sociedade e, ao mesmo tempo, é uma oportunidade de exercer uma profissão digna. 

ZENIT: Quantos apenados foram recrutados para a realização desse trabalho?

PF – Inicialmente, em parceria com a Fundação de Apoio ao Preso (Funap), capacitamos 50 internos do sistema prisional masculino e mais 30 do feminino, com a perspectiva de aumento do efetivo de acordo com os recursos futuros disponíveis. Eles trabalham seis horas por dia, quatro vezes por semana, confeccionando diversos modelos de terços , pulseiras, o cordão oficial da JMJ e os chaveiros relativos ao evento.

ZENIT: E quais são os benefícios que esses apenados terão com esse trabalho?

PF – A legislação processual penal prevê o benefício a cada três dias trabalhados, a redução de um dia da pena, além de eles receberem uma remuneração pela peça confeccionada. Outro benefício é que os internos não ficam ociosos. Além disso, o grupo de trabalho da empresa Jabuti, quando do andamento dos trabalhos, realiza com os internos, orações e meditações ao som de música ambiente católica.

ZENIT: De que maneira outros empreendedores poderão participar desse projeto?

PF – A nossa intenção é estender esse programa a outros presídios, aumentar o número de internos em Brasília, estimular que outras empresas possam também fazer parcerias de trabalho com os internos e, despertar no empresariado, o desejo de também ajudar nesse tipo de empreendimento. Outro propósito após o término da JMJ , continuar o trabalho na produção de ícones e ensiná-los a confecção de batinas,clergimans romanos, solidéus , véus, barretes e toda indumentária da tradição litúrgica católica.

Contato:

Paulo Fernando Melo

providafamilia@hotmail.com

Fone: (55)  61 99673759