Roma apresenta o Primeiro Festival Internacional de Caminhos do Espírito

Uma iniciativa da Obra Romana para as Peregrinações

| 899 visitas

ROMA, terça-feira, 16 de dezembro de 2008 (ZENIT.org).- A Cidade Eterna será sede do Primeiro Festival Internacional de Caminhos do Espírito, batizado com o nome inglês Journeys of the Spirit Festival (Josp Fest). 

O encontro, que será realizado na Nova Feira de Roma, perto do aeroporto Leonardo Da Vinci, de 15 a 18 de janeiro próximos, congregará cerca de 40 mil pessoas e 150 expositores de quatro continentes. 

O festival, organizado pela Obra Romana de Peregrinações, dependente do Vicariato de Roma, órgão da Santa Sé, exporá, graças à ajuda da tecnologia, os itinerários históricos de peregrinação: Roma, Santiago de Compostela e Jerusalém.

Estarão também representadas as metas de peregrinação que mais peregrinos recebem: Guadalupe (10 milhões), Lourdes (9 milhões), São Pedro no Vaticano (7 milhões), Santiago de Compostela (6 milhões) e Jerusalém (3 milhões).

Todas as regiões italianas mostrarão em um grande pavilhão, que conta com a participação da Agência Nacional do Turismo Italiano (ENIT), os lugares espirituais mais representativos que caracterizaram a história do país e seu patrimônio artístico, o mais importante do planeta.

Com o lema «Canta e Caminha», inspirado em Santo Agostinho, os organizadores, que contam com o apoio da Prefeitura e da Província de Roma, assim como da Região do Lácio, buscam com esta iniciativa mudar o conceito de  «turismo religioso».

Durante a coletiva de imprensa de apresentação do Festival, na manhã desta terça-feira, o vice-presidente da Obra Romana das Peregrinações, Dom Libero Andreatta, pediu substituir este termo por «itinerário do espírito».

Quando se viaja para lugares sagrados, a atitude do peregrino deve ser «a reflexão espiritual e o confronto com o espírito. Converte-se em uma grande aventura, proposta com amplas vistas».

Nesta feira, esclareceu Dom Andreatta, «não se vendem produtos, se oferecem experiências. Oferece-se a possibilidade de recuperar os valores da relação com os demais», acrescentou, explicando que por sua experiência de mais de 30 anos neste campo, em tempo de crise econômica, aumentam as peregrinações.

Por sua parte, o diretor geral da Obra Romana para as Peregrinações, o Pe. Caesar Atuire, constatou que «em todas as religiões está presente a transcendência e Josp Fest valoriza este aspecto como terreno de encontro».

«Josp Fest, por este motivo, quer ser uma peregrinação através dos continentes, uma ocasião para descobrir a beleza que o mundo oferece a quem está verdadeiramente motivado a viajar e a conhecer», sublinhou o sacerdote.

«Na viagem, nossos corações e nossos olhos se abrem e se pode aprender» e descobrir os demais, concluiu, ilustrando a diferença com o «turismo» atual, que em muitas ocasiões não promove o encontro entre culturas.

Mais informação em: http://www.jospfest.com