Roma e Moscou: mais próximas do que nunca

Primeiro-ministro italiano e patriarca Kyrill reafirmam compromisso em defesa da civilização cristã e dos valores morais comuns

| 965 visitas

MOSCOU, terça-feira, 24 de julho de 2012 (ZENIT.org) - As Igrejas católica romana e ortodoxa russa têm significativos valores em comum e a melhoria das suas relações é digna de nota, afirmou o patriarca de Moscou, Kyrill, em reunião no mosteiro de São Daniel com o premiê italiano Mario Monti, que faz visita oficial à capital da Rússia.

Na base das relações historicamente boas entre a Itália e a Rússia, está primeiramente "o nosso sistema comum de valores cristãos, que formou os alicerces do sistema legal e da cultura dos nossos países", disse o patriarca russo.

"Eu acredito que essas fontes da nossa cultura, filosofia e pensamento social moldam em grande parte a imagem dos russos e dos italianos", acrescentou Kyrill.

O maior expoente da igreja ortodoxa russa comentou ainda o crescimento constante do número de peregrinos russos que visitam a cada ano os lugares de culto italianos. “Ao visitar os santuários e lugares sagrados da Itália”, disse Kirill, “os ortodoxos russos conhecem a espiritualidade do povo italiano, a sua cultura religiosa, e percebem melhor uma grande afinidade espiritual. Eu acho que, depois da Terra Santa, a Itália é a meta mais visitada pelos peregrinos da Rússia”.

Sobre a crise econômica internacional, o patriarca manifestou a convicção de que, "junto com as causas claramente técnicas da crise, há também causas morais fundamentais, e esta dimensão moral e espiritual da crise de hoje é a que mais nos preocupa".

Outra questão abordada no encontro é a grande presença de fiéis ortodoxos na Itália, onde existem 55 paróquias do patriarcado de Moscou. A esperança do patriarca Kyrill é que essas comunidades recebam o melhor cuidado pastoral possível, bem como um lugar de direito entre as outras organizações religiosas presentes no país.

O patriarca de Moscou observou ainda a melhoria das relações ecumênicas com a Igreja de Roma. "Em muitas questões, as nossas posições coincidem, principalmente nas questões pastorais, que afetam a vida do homem moderno".

Kyrill recordou o seu apoio à Itália na questão legal da manutenção de crucifixos nas salas de aula e em outros locais públicos: "Estamos muito satisfeitos porque o Tribunal Europeu, em Estrasburgo, derrubou a sentença de primeira instância que ofendia os sentimentos religiosos de um grande número de pessoas".

O diálogo entre as Igrejas católica e ortodoxa, de acordo com o patriarca de Moscou, é importante para confirmar o propósito de ambas de trabalhar em conjunto na defesa dos princípios morais, sem os quais a civilização humana é frágil e vulnerável.

(Tradução:ZENIT)