Sacerdote assassinado na Índia

Padre K.J. Thomas, reitor do seminário em Bangalore, foi morto com golpes de tijolos

Roma, (Zenit.org) | 1080 visitas

Bem no dia depois da Páscoa, a cristianofobia voltou a atacar na Índia. O assassinato do padre K.J. Thomas, de 65 anos, reitor do seminário em Bangalore, no sul do país, ocorreu ontem de manhã, provavelmente entre as 2h30 e as 3h da madrugada, momento em que se escutaram gritos pavorosos.

Os assassinos, ainda soltos, teriam entrado no seminário, aproveitando-se da chuva, e desferido ao sacerdote algumas pancadas de tijolo na cabeça.

Quem descobriu o corpo sem vida do Padre Thomas, foi a irmã do reitor, uma religiosa, que, o esperava no aeroporto. Não tendo recebido nenhuma resposta dos seus telefonemas, a irmã foi pessoalmente ao seminário, encontrando assim o corpo martirizado do irmão, em cima da mesa da estrutura diocesana.

A polícia está seguindo a pista do assalto agravado de homicídio, porque faltam alguns documentos do escritório do padre Thomas e da administração.

O crime foi descrito como "brutal, terrível e sem sentido" pelo Arcebispo de Bangalore, monsenhor Bernard Moras. Questionado pela agência Asia News, o prelado descreveu o padre K.J. Thomas como “um sacerdote pio e calmo, cuja morte representa uma grave perda para todos nós e para o seminário especialmente”.

Por sua parte, o cardeal Oswald Gracias, presidente da Conferência Episcopal Indiana, expressou as suas  condolências à família do padre Thomas, aos alunos e aos funcionários do seminário. O reitor assassinado "era um amigo querido e um sacerdote humilde, compassivo, decente e de bom coração, amado por todos", disse o Cardeal Gracias.

O corpo do sacerdote indiano, será levado nas próximas horas a Ootacamund, sua diocese natal, onde se celebrará o funeral, na data a ser determinada pelo bispo local.

Enquanto isso, dezenas de sacerdotes, seminaristas e leigos celebraram nesta manhã, uma missa pela alma do Padre K.J. Thomas.