Salesianos convidam o mundo ao Museu Internacional da Natividade em Belém

Paróquias são incentivadas a organizar peregrinações ao local

| 1051 visitas

Eugenio Fizzotti

ROMA, quinta-feira, 2 de agosto de 2012 (ZENIT.org) - Na véspera do natal de 1999, foi oficialmente aberto no coração de Belém, no histórico Convento Salesiano, o Museu Internacional da Natividade, que reúne mais de 200 presépios de vários estilos e tamanhos, vindos de todas as partes do mundo.

Promovido pela Unesco e apoiado pela Autoridade Nacional Palestina e pelo governo italiano, o Museu da Natividade criou uma síntese feliz de costumes, rituais e liturgias de grupos étnicos espalhados por todos os continentes. Em Belém estão representados quase todos os países, com trabalhos criados pelas mãos experientes de artesãos, intérpretes iluminados da religiosidade e das tradições folclóricas dos próprios lugares de origem.

Apesar do grande interesse e entusiasmo que despertou, o museu sofreu um revés devido aos eventos da segunda Intifada, cujos efeitos duraram vários anos. Felizmente, a atividade cultural que tem caracterizado o museu desde o início não parou. Em 18 de dezembro de 2010, ele finalmente foi reaberto ao público de maneira estável, depois de uma cerimônia de inauguração que contou com a presença do diretor da Comunidade Salesiana de Belém, o ministro palestino do Turismo e o representante da Unesco na Palestina.

A reabertura está dando vida nova a uma rede de relações internacionais importantes. Diversas conferências já foram organizadas no museu, assim como eventos de estudos e pesquisas sobre a tradição secular do presépio, que destacam as maquetes, as reconstruções cenográficas fiéis da paisagem característica e as espetaculares representações originais.

O museu faz parte do percurso dos peregrinos pela Terra Santa e oferece não apenas uma experiência cultural e espiritual, mas favorece ainda o renascimento da cidade de Belém.

A visita permite admirar conjuntamente os matizes artísticos de quase todos os países do mundo. Há figuras talhadas em madeira, procedentes de várias tradições africanas, e a extraordinária poesia dos presépios andinos e das florestas da América do Sul. Há o charme das obras asiáticas e as interpretações europeias que vão do mais tradicional ao mais inusitado e criativo.

Os visitantes podem visitar o museu diariamente, das quatro horas da tarde às oito da noite. Todo o valor levantado pela venda de ingressos é usado pela Comunidade Salesiana em projetos educacionais em prol dos jovens de Belém. Além do museu, os salesianos administram um centro artístico, onde os jovens vítimas de violência ou pertencentes a grupos vulneráveis ​​produzem trabalhos em madeira de oliveira, madrepérola e cerâmica.

Localizado no coração da antiga cidade de Belém, o museu oferece aos peregrinos uma experiência dos lugares santos e do estilo de vida local. O acesso é fácil: os estacionamentos dos ônibus turísticos ficam em média a 5 minutos de caminhada.

O museu acomoda mais de 100 pessoas ao mesmo tempo, com guias em italiano, inglês, espanhol, francês, alemão e árabe.

A gama de eventos culturais também é ampla, incluindo concertos, conferências e seminários sobre a tradição do presépio, com parceiros nacionais e internacionais. A organização permite que os visitantes e, principalmente, os grupos de jovens e as excursões lideradas por párocos, tenham a oportunidade de passar uma noite agradável a poucos passos da praça da Natividade, na qual a atmosfera continua celebrando o nascimento do Salvador.

Trad.ZENIT