Santa Eufrásia

A oferta total de sua juventude faz de Eufrásia um testemunho vivo, uma luz para o caminho ao qual Deus nos convida a viver

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 286 visitas

Eufrásia nasceu no ano de 380, em Constantinopla na Ásia Menor. Seus pais eram Antígono, senador e governador, e Eufrásia, que apesar de ser uma família da nobreza, desta não se valiam e viviam com piedade a caridade e a humildade. Após o nascimento de Eufrásia, o casal decidiu fazer o voto de castidade. Antígono viria a morrer um ano depois e Eufrásia ficou aos cuidados da mãe que fiel ao seu voto de castidade e temendo a incursão de novos pretendentes resolveu ir para o Egito no ano 386.

A pequena Eufrásia desde cedo recebera educação cristã e logo despertou para a vida monástica. Rezava longas horas na capela além de fazer jejuns. Após algum tempo, precisaram voltar para Constantinopla e a pequena Eufrásia, com sete anos, decidiu ficar no convento. Mesmo diante de todas as exigências de uma vida consagrada a Deus Eufrásia com convicção dizia: “Espero somente de ser fiel.” 

Alguns anos depois a mãe de Eufrásia faleceu e a notícia logo chegou ao conhecimento do governador Teodósio que escreveu para a jovem pedindo-a em casamento. Eufrásia respondeu ao governador que não iria abrir mão do seu voto e que iria dispor de todos os seus bens em favor dos pobres e das Igrejas.

Em sua caminhada monástica enfrentou diversas provações físicas, morais e espirituais, ora impostas pelas superioras e monjas, ora por ação do próprio inimigo de Deus que a atormentava porém sem conseguir tirar da jovem a piedade, o amor místico e a alegria próprias daqueles que vivem em Cristo.

A abadessa de Eufrásia teve um sonho no qual lhe era revelado que a própria Virgem Maria vinha pegar a jovem e introduzi-la no céu. Isto aconteceria em dez dias a partir dali. Houve uma grande comoção no convento e no dia marcado a jovem Eufrásia tomou parte na corte celeste. O ano era 412 e a jovem foi sepultada no próprio convento.