Santa Madalena de Canossa

Madalena testemunhou com a vida que a caridade é um fogo sempre a propagar-se cada vez mais, procurando tudo atingir.

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 295 visitas

“Façam conhecer Jesus Cristo. Ele não é amado porque não é conhecido”, dizia Madalena Canossa nas regras da Congregação das Filhas da Caridade por ela fundada.

Madalena Gabriela Canossa nasceu em 1º de março de 1774 na cidade italiana de Verona. Madalena era a terceira de seis filhos de uma família muito rica. Seu pai faleceu quando tinha apenas cinco anos e sua mãe abandonou os filhos dois anos depois em busca de um novo casamento. Foram então destinados aos cuidados de uma instituição religiosa.

Madalena, no ano de 1971 aos dezessete anos, sentindo o apelo do coração para se consagrar a Deus, ingressa em um convento carmelita, mas ali descobre não ser seu lugar nem sua vocação e então retorna para sua casa. Ao retornar para sua cidade, foi tomada de pavor pelos conflitos sociais gerados com a Revolução Francesa. Pobreza, miséria, doenças e outras situações motivaram o coração da jovem a ser canal da misericórdia e caridade de Cristo àqueles que sofriam.

Iniciou então a administração do palácio o qual vivia, destinando seus bens não somente à nobreza, mas também ao auxílio dos pobres. Em 1801, acolheu duas jovens que pediam abrigo em seu palácio. A partir daí, impulsionada pela fervorosa caridade de Cristo acolheu muitas outras pessoas em seu palácio que se transformou em um local de acolhimento dos mais necessitados.

Em 1808, juntamente com suas companheiras, Madalena recebe um mosteiro abandonado no bairro San Zeno. O bairro era muito pobre e a jovem inicia os trabalhos de evangelização, educação e promoção humana com os pobres e necessitados no antigo mosteiro que passou a se chamar Convento de São José. Nasceu a partir daí a Congregação das Filhas da Caridade. Madalena escreveu as regras da congregação que foram aprovadas em 1831, pelo Papa Leão XII. Em 1831, funda a casa masculina dos Filhos da Caridade em Veneza.

Madalena morreu no dia 10 de abril de 1835 na cidade de Verona, foi beatificada em 08 de dezembro de 1941 pelo Papa Pio XII e canonizada pelo Papa João Paulo II em 2 de outubro de 1988.