Santa Maria de Cléofas

Maria de Cleófas esteve com Jesus aos pés da cruz e na ressurreição nos apontando um testemunho de fidelidade, perseverança e amor

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 308 visitas

“Perto da cruz de Jesus, permaneciam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas e Maria Madalena” narra São João em seu Evangelho, citando o doloroso e silencioso momento do Calvário que foi seguido pelas piedosas mulheres em evidência.

Uma destas piedosas era Maria de Cléofas. No Evangelho é narrado que seu esposo é Cléofas Alfeu, irmão do carpinteiro José. Maria de Cléofas era, portanto, cunhada da Virgem Maria e mãe de três apóstolos: Judas Tadeu, Tiago, o Menor Apóstolo e Bispo de Jerusalém e Simão que sucedeu Tiago no bispado de Jerusalém, também chamados de "irmãos do Senhor", que segundo a tradição é uma expressão utilizada para designar o parentesco de “primos”.

Seu esposo ainda é citado na sagrada tradição como um dos discípulos de Emaús que acompanharam Jesus logo após sua ressurreição. E também foi incluído no Martirológio Romano. Maria de Cleófas teve sua participação na história de Jesus de forma muito profunda, sendo uma das que tiveram a oportunidade e coragem de seguir Jesus em seu percurso de sofrimento e também em sua gloriosa ressurreição. 

Maria de Cleófas esteve com Maria, Mãe de Jesus e Maria Madalena aos pés da cruz, e na tradição as conhecemos como as Três Marias. Se Maria teve a oportunidade de estar com Jesus em seu sofrimento, quis a providência divina que ela também estivesse no momento da gloriosa ressurreição de Jesus, como é narrado no Evangelho: "E passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo". O mensageiro divino anunciou às piedosas mulheres: "Por que procuram o vivo entre os mortos?".

Maria de Cleófas representa para nós um exemplo de perseverança, confiança e piedade. Ela manteve-se fiel na caminhada com Jesus em todos os seus momentos, nos revelando um testemunho de amor que, mantendo-se firme no sofrimento contempla também a alegria da vida nova e a comunica a todos.