Santa Sé aprova 3 alternativas ao “Ite, missa est”

Revelações do cardeal Arinze

| 1206 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 14 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- A Santa Sé aprovou três propostas alternativas ao “Ite, missa est” (Ide em paz), a saudação final da missa. As mudanças foram notificadas aos participantes do Sínodo dos Bispos pelo cardeal Francis Arinze, prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

As alternativas foram aprovadas pelo Papa bento XVI em resposta a uma petição apresentada pelo Sínodo de 2005 sobre a Eucaristia, no qual se haviam pedido fórmulas que expressassem o caráter missionário que deve acompanhar a celebração eucarística.

Segundo ilustrou o cardeal nigeriano, o Papa pediu que se apresentassem sugestões. A Congregação vaticana recebeu 72, a partir das quais redigiu 9. O Papa escolheu 3 delas.

As 3 fórmulas alternativas aparecem na terceira edição “typica” (de referência) emendada do Missal Romano, impressa na semana passada, informou o cardeal.

As 3 fórmulas são:

- “Ite ad Evangelium Domini nuntiandum” (Podeis ir anunciar o Evangelho do Senhor).

- “Ite in pace, glorificando vita vestra Dominum” (Podeis ir em paz, glorificando o Senhor com vossa vida).

- “Ite in pace” (recordala fórmula existente, “Ide em paz”). No tempo pascal se acrescenta “alleluia, alleluia” (aleluia, aleluia, aleluia).

A fórmula latina “Ite missa est” não foi removida.

O próprio cardeal Arinze explicou que o Compêndio Eucarístico, que havia sido pedido pelo Sínodo da Eucaristia, está quase terminado.

É um livro que definirá a doutrina sobre a Eucaristia, a bênção, a hora santa eucarística, a adoração, as orações antes e depois da missa, etc.

O cardeal Arinze disse que a Santa Sé, por indicação do Papa e a partir da petição do sínodo anterior, também está estudando o momento mais adequado para colocar na celebração eucarística a saudação da paz.

O Santo Padre disse que é preciso fazer uma opção: ou antes do “Agnus Dei” (Cordeiro de Deus) ou depois da oração dos fiéis. Cada conferência episcopal deve responder antes do final do mês de outubro. A Congregação dará 3 semanas de prazo para quem apresentar propostas com atraso. Depois, as propostas serão expostas ao Santo Padre e ele decidirá depois.

O cardeal disse, por último, que a sua Congregação está preparando um livro com material para homilias temáticas, com o objetivo de facilitar a pregação dos sacerdotes do mundo inteiro.