Santa Sé condena atentado em Beirute

Padre Federico Lombardi espera o fim da propagação da violência

| 886 visitas

ROMA, sexta-feira, 19 de outubro, 2012 (ZENIT.org) -. Durante um atentado em Beirute, que resultou em 8 mortos e 78 feridos, perdeu a vida também Wissam al Hassan, chefe do serviço secreto das Forças de segurança interna (FSI) no Líbano. 

Um carro-bomba explodiu nesta sexta-feira, 19 de outubro na hora do rush, no bairro cristão de Achrafieh.

Fontes libanesas dizem que o general Hassan era um muçulmano sunita ligado ao partido Al Mustakbal (O Futuro), que é liderado por Saad Hariri, um dos líderes da oposição libanesa hostil ao regime de Damasco.

Saad Hariri é filho de Rafiq Hariri, ex-primeiro ministro assassinado em Beirute em 14 de fevereiro de 2005.

Em um comunicado emitido pela sala de imprensa do Vaticano, o porta-voz, padre Federico Lombardi, SJ, escreveu que "o ataque em Beirute merece a mais firme condenação pela absurda violência criminosa que manifesta e porque é contrária aos esforços e ao empenho de manter uma convivência pacífica no Líbano”.

"O Líbano, em vez,  - disse o Pe. Lombardi - como repetiu várias vezes o Santo Padre Bento XVI, é chamado a ser uma mensagem de paz e de esperança para aqueles que vivem e para toda a região. Partilhamos com compaixão o sofrimento pela morte e ferimento de muitas pessoas, espera-se que este fato horrível não seja ocasião de posterior propagação da violência”.

Sobre o ataque o Metropolitana Ortodoxo de Beirute, Ilias Aude, disse: "não esperávamos o que aconteceuem Beirute.  Ficamostristes porque pensávamos que estivéssemos caminhando em direção a uma vida pacífica e estável, onde todos tentam estabelecer a segurança e melhorar a qualidade da vida econômica e humana. Rezo a Deus para que dê paciência aos libaneses pois vivemos com medo por nossos parentes e amigos”.

(Trad.MEM)