Santa Sé mobilizou-se contra lapidação de mulher iraniana

Reitera a condenação moral à pena de morte

| 1172 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 6 de setembro de 2010 (ZENIT.org) – A Santa Sé condenou moralmente e se mobilizou para deter o apedrejamento da mulher iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada por adultério, cuja execução poderia ser iminente.

O padre Federico Lombardi S.J., diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, ofereceu este comentário depois que o filho, Sajjad Ghaderzadeh, lançou um apelo ao Papa Bento XVI, para que intervenha para deter a execução.

O porta-voz vaticano assegurou em uma conversa com os jornalistas nesse domingo que “a Santa Sé acompanha o caso com atenção”.

“A posição da Igreja, contrária à pena de morte, é conhecida e a lapidação é uma forma particularmente brutal”, acrescenta.

“Quando é solicitado à Santa Sé de maneira apropriada que intervenha em questões humanitárias junto a outros países, como aconteceu muitas vezes no passado, ela o faz, mas não de forma pública, e sim através dos canais diplomáticos próprios”, diz.

A mulher foi condenada ao apedrejamento por adultério e cumplicidade na morte de seu marido, em 2006. Seu filho considera que só a mobilização internacional pode salvá-la da lapidação.