Santa Sé propõe aliança a budistas em defesa da criação

Mensagem do Conselho para o Diálogo Inter-religioso por ocasião da festa de Vesakh

| 771 visitas

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 29 de abril de 2008 (ZENIT.org).- A Santa Sé propôs aos crentes budistas uma aliança com os católicos na defesa da criação.

A proposta faz parte da mensagem assinada pelo cardeal Jean-Louis Tauran e pelo arcebispo Píer Luigi Celata, presidente e secretário, respectivamente, do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, aos budistas do mundo inteiro por ocasião da festa de Vesakh, a mais importante de seu calendário.

A mensagem escolheu o tema «Cristãos e budistas: cuidar do planeta», pois em 2008 a humanidade celebra, a partir da proposta da Assembléia Geral das Nações Unidas, o Ano Internacional do Planeta.

«A família precisa de uma casa à sua medida, um ambiente onde viver suas próprias relações. Para a família humana, esta casa é a terra, o ambiente que Deus Criador nos deu para que o habitemos com criatividade e responsabilidade», afirma o texto, citando Bento XVI.

«Temos de cuidar do meio ambiente: este foi confiado ao homem para que cuide dele e o cultive com liberdade responsável, tendo sempre como critério orientador o bem de todos», acrescenta.

No contexto do atual debate público sobre o ambiente, o texto constata que «os líderes religiosos oferecem ao debate público sua contribuição, que não é somente uma reação às ameaças mais recentes ligadas ao aquecimento global».

«O cristianismo e o budismo promoveram sempre um grande respeito pela natureza e ensinou que devemos ser administradores gratos da terra», continua afirmando o Conselho Vaticano.

«Só mediante uma profunda reflexão sobre a relação entre o Criador divino, a criação e as criaturas, os esforços para responder às preocupações ambientais não se verão comprometidos pela avidez individual ou impedidos pelos interesses de grupos particulares», assegura.

A conclusão da mensagem fica recolhida em uma pergunta que propõe uma aliança: «Como cristãos e budistas, não podemos fazer mais, no âmbito prático, para colaborar em projetos que confirmam a responsabilidade que recai sobre cada um de nós?».

«A reciclagem, a economia energética, a prevenção da destruição indiscriminada de plantas e animais e a proteção da água falam de uma administração mais atenta e também de impulsionar a boa vontade e de promover relações cordiais entre os povos. Desta forma, cristãos e budistas podem ser portadores de esperança para um mundo limpo, seguro e harmonioso», conclui.

A festa de Vesakha mais importante para os budistas, será celebrada entre 12 e 18 de maio, durante a lua cheia, porque segundo a tradição, o Buda histórico nasceu, obteve a iluminação e desapareceu alcançando o Nirvana nesse período.