Santo Aleixo (O Servita)

Juntamente com outros seis amigos abriram mão de sua situação privilegiada de riqueza para seguirem com fidelidade e ardor os conselhos evangélicos

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 360 visitas

A Idade Média é conhecida com louvor como “a doce primavera da fé” por suas catedrais magníficas, pela arte gótica, pelos vitrais e também pelos testemunhos de santidade que nelas foram gerados.

Entre eles está Aleixo, filho de Bernardo Falconieri que nasceu no ano 1200 na cidade de Florença na Itália e juntamente com outros seis amigos abriram mão de sua situação privilegiada de riqueza para seguirem com fidelidade e ardor os conselhos evangélicos. São eles os santos fundadores da Ordem dos Servos de Maria.

Aleixo era jovem e pertencia à família de conceituado e bem sucedido comerciante, o que lhe conferia alta posição social e de nobreza. Embora vivesse este contexto, era um jovem muito alegre, piedoso e devoto da Virgem Maria. No dia 15 de agosto de 1233, festa da Assunção de Nossa Senhora, Aleixo e seus amigos (Bonfiglio, Bonaiuto, Amadio, Ugocio, Sostenio, Manejo) estavam reunidos numa capela para rezar e cantar à Virgem Maria, quando Ela lhes apareceu, recomendando-lhes que renunciassem ao mundo e se dedicassem exclusivamente a Deus.

Aleixo e seus amigos não exitaram em corresponder a este chamado e partiram à vender todos os seus bens e distribuí-los aos pobres e também saíram a pedir esmolas em meio as ricas e ostentosas ruas e casas da cidade de Florença. Vestiam-se de preto em reverência à Virgem que manifestara luto pela Guerra Civil que assolava aquela região e adotaram a Regra de Santo Agostinho.

A ordem foi aceita pelo Vaticano em 1304 e os fundadores foram consagrados sacerdotes, menos Aleixo que se recusou a vestir o hábito pois preferiu a vida austera de um eremita que residia na gruta do monte Senário e de lá só saia para pedir e mendigar a caridade para os necessitados e para rezar na pequena capela de Nossa Senhora.

Morreu com 110 anos no ano de 1310. Foi o último dos sete a morrer e narra a tradição que antes de morrer ele ficou rodeado de anjos e recebeu a visita do menino Jesus que lhe oferecia uma coroa de ouro. Foram sepultados num mesmo túmulo, o que se tornou um fato único na História, venerados e canonizados em conjunto no ano de 1888.

Que o testemunho de amizade, escuta e obediência ao chamado de Deus a preferir os bens eternos aos deste mundo possa inundar nossa vida nos fazendo contemplar no outro e já aqui a glória que nos espera no céu.