Santo Isidoro de Sevilha

Na contemplação e na ação, São Isidoro nos ensina a unificar a fé e as obras em favor do anúncio do Reino de Deus.

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 343 visitas

“Com efeito, assim como se deve amar a Deus com a contemplação, também se deve amar o próximo com a ação”, dizia Isidoro, que é chamado de "Pai dos Concílios" e "mestre da Igreja" da Idade Média

Isidoro nasceu no ano 560, em Cartagena, Espanha. Filho de Severiano, culto e disciplinado prefeito de Cartagena e Teodora cuja disciplina católica foi fortemente ensinada aos filhos. Isidoro teve irmãos que também se tornaram santos: São Leandro, São Fulgêncio, e Santa Florentina. Isidoro recebeu sua educação na escola da Catedral de Sevilha e concluiu seus estudos com louvor vindo a formar-se e aprender várias línguas, como, o latim, grego e hebraico. Logo após a conclusão dos estudos ordenou-se padre.

Após a morte de seu irmão Leandro, Isidoro sucedeu à Sé de Sevilha em uma época de grandes conflitos culturais onde os godos se sobrepunham aos romanos e com isso toda a tradição e educação do povo ia se degradando. Isidoro então se valeu de todos os recursos culturais e didáticos para reestabelecer a unidade entre os povos valendo-se de seus elementos principais e criando com isso vários núcleos de estudo, escolas e casas religiosas onde graças a sua dedicação tornaram-se verdadeiras universidades. Isidoro fundou também vários mosteiros, nos quais aprofundou a cultura monástica e a oração. Graças a seus esforços as tensões foram erradicadas e a heresia ariana que emergia entre os povos também definhou com a conversão providencial do herdeiro ao trono, o visigodo Ermenegildo, do arianismo à fé católica.

Após este tempo, retirou-se para realizar suas práticas religiosas e dedicar-se aos estudos, mas logo deparou-se com uma realidade que é um dos seus maiores ensinamentos: “o servo de Deus, imitando Cristo, deve dedicar-se à contemplação, sem negar-se à vida ativa.” Isidoro retornou de seu exílio e por sua sabedoria e conhecimento presidiu várias interlocuções no II Concílio de Sevilha, em 619, e no IV Concílio de Toledo, em 633 que foram determinantes para o enraizamento da fé e doutrina católica. Escreveu também uma enciclopédia chamada Etimologias, com biografias, regras e comentários bíblicos.

Faleceu no dia 4 de abril de 636 e em 1722, o papa Bento XIV proclamou santo Isidoro de Sevilha doutor da Igreja. Em 1999, foi indicado pelo Vaticano como padroeiro da Internet e de seus usuários.