Santo Padre exige que se acabe com abuso do trabalho infantil

Nas vésperas do Congresso de crianças contra o trabalho infantil

| 850 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 9 de maio de 2004 (ZENIT.org).- João Paulo II pediu este domingo acabar com o abuso que constitui o trabalho infantil, pois impede a educação primária de milhões de crianças no mundo.



«Infelizmente, muitas crianças no mundo estão privadas da educação primária e acabam utilizadas como mão de obra», reconheceu o bispo de Roma depois de rezar a oração mariana do «Regina Caeli».

O chamado do Papa, escutado este domingo por milhares de peregrinos na praça de São Pedro do Vaticano, acontece nas vésperas do Congresso mundial de crianças contra o trabalho infantil (www.globalmarch.it) , que se celebra em Florença de 10 a 16 de maio.

«Desejo que este encontro contribua para promover o concreto reconhecimento dos direitos da infância», acrescentou.

O Santo Padre alentou, ao mesmo tempo, o trabalho das escolas católicas --mestres, alunos e familiares-- e pediu a cada colégio «continuar com seu precioso serviço à formação de novas gerações».

O Congresso contra o abuso do trabalho infantil, organizado pela «Global March against Child Labour», pela organização italiana «Mãos estendidas» («Mani tese») e por sindicatos, foi convocado ante a constatação de que «246 milhões de crianças são abusadas pelo trabalho infantil: a maior parte deles não irá à escola».

Do encontro participarão 500 crianças e adolescentes de 10 a 17 anos, provenientes de todo o planeta, para recordar suas responsabilidades aos Estados e às organizações internacionais.