Santuário de Fátima rejeita acusações de maus tratos a animais

Acusações têm origem em textos e fotografias divulgados na internet

| 1279 visitas

FÁTIMA, terça-feira, 13 de julho de 2010 (ZENIT.org) – O Santuário de Fátima rejeitou hoje acusações que circulam na internet e apontam supostos maus tratos a animais realizados nas dependências do santuário.

Em nota de imprensa, a reitoria do santuário afirma que, desde o dia 11 de maio deste ano, tem recebido e-mails e telefonemas com acusações de prática de maus tratos e abate ilegal de cães, praticados por funcionários e em obediência a ordens dadas pela reitoria.

Segundo o santuário, “devido a frequentes queixas sobre a presença de cães abandonados dentro da sua área, o Santuário de Fátima tem procedido à sua recolha, sendo eles posteriormente entregues no canil municipal de Ourém”.

“Porém, não dá ordens que contemplem maus tratos ou abate dos animais, nem tem conhecimento de que haja ocorrências dessa natureza”, afirma a nota.

O texto da reitoria esclarece que as orientações dadas “são no sentido de que tudo se faça em total sintonia com a legalidade e as instituições competentes nesta matéria”.

“Por isso, a Reitoria do Santuário de Fátima rejeita aquelas acusações e esclarece que as imagens publicadas que possam indiciar maus tratos ou abate de cães não são reconhecidas como tendo sido fotografadas no Santuário de Fátima”, diz a nota.

O santuário lembra ainda que, após as acusações, a Guarda Nacional Republicana – Comando Territorial de Santarém – Destacamento Territorial de Tomar, realizou uma investigação sobre os supostos maus tratos.

“Em conclusão” – esclarece a nota –, o relatório refere que não foram descobertos “animais mortos, indícios de maus tratos ou atos que tipifiquem infração”.