São Boaventura

Boaventura dedicou-se a promover a unidade dando testemunho convicto de firmeza na fé e na doutrina.

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 259 visitas

"Homem bom, afável, piedoso e misericordioso, repleto de virtudes, amado por Deus e pelos homens..”, assim era definido Boaventura que nasceu na cidade de Bagnoregio, na região do Lácio perto de Viterbo. Filho de Giovanni di Fidanza e Maria Ritella nasceu por volta de 1217 e foi batizado com o nome de João de Fidanza.

Poucos são os registros de sua infância e juventude. Aos vinte e dois anos ingressou para a Ordem Franciscana, na qual após dois anos adotou o nome de Boaventura. Deu prosseguimento aos seus estudos na Universidade de Paris onde formou-se em filosofia e teologia. Em 1253 tornou-se professor das matérias. No ano de 1257 teve determinante atuação na disputa entre as dimensões seculares e mendicantes dos franciscanos, o que lhe valeu grande prestígio. Recebeu o doutorado juntamente com São Tomaz de Aquino e foi eleito superior geral da sua ordem pelo Papa Alexandre IV. Permaneceu a frente por dezoito anos e tão exemplar e fecunda foi sua contribuição que foi considerado o segundo “pai” dos franciscanos.

Boaventura empreendeu forte trabalho missionário, enviando frades a diversos países e também escreveu importantes obras literárias e espirituais. Em 1273, o Papa Gregório X consagrou Boaventura bispo e posteriormente cardeal da Diocese de Albano Laziaze. À pedido do Papa também organizou e participou do Concílio de Lyon em 1274 que tinha como missão promover a unidade entre as Igrejas latina e grega.

Boaventura faleceu durante este Concílio, no dia 15 de julho de 1274. Foi canonizado no ano de 1482 pelo Papa Sisto IV e declarado Doutor da Igreja pelo Papa Sisto V em 1587