São Fidelis de Sigmaringen

Morrer foi para Fidelis uma alegria, visto que contemplou a face de Deus convicto da missão cumprida em favor da defesa da fé.

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 379 visitas

Fidelis nasceu no ano 1577 na cidade de Sigmaringen, Alemanha. Sua família pertencia à nobreza alemã. Foi batizado com o nome de Mark Roy. Desde criança foi introduzido nos estudos e logo ingressou na Universidade de Friburgo, na Suiça, onde estudou filosofia, direito civil e canônico vindo a formar-se advogado no ano 1604.

Durante este tempo sempre demonstrou recolhimento, modéstia e zelo com o sagrado. Durante diversas viagens que fez a estudos, visitava doentes nos hospitais e igrejas onde assistia à missa e passava longas horas diante de Jesus Eucarístico. Além disso, sempre acolhia os pobres que encontrava.

Retornou para a cidade de Colmar na Alsásia, onde exerceu a advocacia durante alguns anos. Mesmo na profissão não perdeu seu zelo com os mais necessitados, vindo por vezes a defender causas gratuitamente àqueles mais necessitados e ficou conhecido como o “advogado dos pobres”. Contudo, sua profissão não o satisfazia e abandonou o ofício de advogado para dedicar-se à vida religiosa ingressando na Ordem dos Frades Menores dos Capuchinhos de Friburgo. Estudou e ordenou-se em 4 de outubro de 1612 adotando para si o nome de Fidelis, que significa “fiel”.

Devido a sua inteligência e conhecimento, foi logo encarregado das pregações e aconselhamentos vindo a tornar-se guardião do convento capuchinho em Weltkirchen, Feldkirch (na atual Áustria). Neste tempo resgatou e converteu a muitos inclusive calvinistas. A Congregação para a Doutrina da Fé enviou então Fidelis para região de Graubünden do leste da Suíça juntamente com alguns frades auxiliares para combaterem a heresia calvinista que assolava aquela região.

Vários calvinistas foram convertidos para a fé cristã e isso gerou profunda revolta entre os hereges. Planejaram então matar Fidelis e no dia 24 de abril de 1622, após fazer sua confissão e celebrar a Santa Missa, foi apanhado pelos calvinistas que deferiram diversos golpes de espada tirando a vida de Fidelis que os perdoou e abençoou antes de morrer.

Ele foi canonizado pelo Papa Bento XIV no ano de 1724.