São Francisco de Paula

São Francisco de Paula nos aponta um testemunho de profunda confiança e dedicação a Deus na realização de suas obras e na certeza do céu.

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 314 visitas

"Não houve jamais mal, por maior e mais incurável que parecesse, que pudesse resistir à sua voz ou ao seu toque.” Assim narrava-se acerca de Francisco de Paula, o Eremita da Caridade.

Filho de Tiago e Viena, um simples e exemplar casal que vivia em Paula, uma pequena porção da Calábria na Itália, Francisco foi fruto de diversas orações que o casal de agricultores fizeram a Deus rogando pela intercessão de São Francisco de Assis que lhes fosse dado um filho. Assim nasceu Francisco em 27 de março de 1416 que já no nascimento foi novamente colocado sob a proteção do Santo de Assis devido a uma infecção que poderia deixa-lo cego. Seus pais, muito virtuosos, prometeram que pela cura do pequeno Francisco, o colocariam no caminho da vida monástica. E assim aconteceu...

Aos onze anos, Francisco foi levado para o convento de São Marcos da Ordem dos Frades Menores onde começou a trilhar o caminho de santidade. Lá permaneceu por um ano e depois foi com a família peregrinar para a Terra Santa, Assis e Monte Cassino. Durante a viagem sentiu o apelo de Deus a dedicar-se a solidão e retirando-se para as montanhas lá permaneceu por seis anos. Conta a tradição que recebeu o hábito das mãos de um anjo durante o exílio.

Aos 19 anos, Francisco, reuniu alguns discípulos e auxiliares e sob a licença do Bispo local deu início a construção de um mosteiro que seria o amanhecer da ordem franciscana chamada “Ordem dos Mínimos” que tinha como lema: "Quaresma perpétua". Como um luzeiro, o mosteiro e o testemunho de vida dos irmãos atraíram a muitos desejosos de ingressar e viver a vida de renúncia, penitência, oração e ajuda aos necessitados e pobres. Apesar de sua simplicidade e pouco estudo, Francisco era repleto de santidade, graça e conselho sendo responsável por muitos milagres em sua época, dentre eles a cura do Rei Luís XI, a ressurreição de um garoto e de um de seus ajudantes no mosteiro.

Francisco de Paula faleceu no dia 2 de abril de 1507 aos noventa anos de idade em Plessis-les-Tours. Sua ordem foi aprovada pela Santa Sé em 1506 e em 1519, o papa Leão X autorizou o culto de são Francisco de Paula.