São Luís Scrosoppi

São Luís nos ensina que a caridade, o acolhimento e o zelo para com o outro nos revela a grandeza de Cristo e nos prepara para o céu.

Horizonte, (Zenit.org) Fabiano Farias de Medeiros | 288 visitas

"Temos cada dia somente uma tarefa a realizar: Que em nós tudo seja um ato de amor, da manhã à noite." Assim dizia São Luís, fundador da Congregação das Irmãs da Providência.

Luís nasceu em Udine, cidade de Friulli ao norte da Itália no dia 4 de agosto de 1804. Era o mais jovem dos três filhos do casal Domenico Scrosoppi e Antônia Lazzarine. A família era fervorosa na vivência e no ensino cristão onde todos foram educados. Tamanho era as virtudes de fé de seus pais que os irmãos Carlo e Giovanni foram ordenados quando Luís ainda era pequeno.

No ano 1800, a região da cidade foi assolada por guerras e em consequência disso a calamidade das doenças e da miséria  se instalaram. Luís ainda jovem sentia em seu coração o desejo de ajudar seus convivas de forma mais eficaz e decidiu entrar para o seminário diocesano de Udine, onde no ano 1826 veio a se tornar diácono e em 31 de março de 1827 foi ordenado sacerdote.

Tornou-se então assistente de Carlo, seu irmão que era Diretor do Orfanato "Piedosa União do Coração do Menino Jesus". Desempenharam grande trabalho de ajuda, acolhimento e tratamento dos pobres e mais necessitados e também dos órfãos. Com isso o Orfanato foi tornando-se pequeno para o número de pessoas assistidas pela caridade de Luís. A ele se juntaram diversas mulheres da região que o auxiliavam no acolhimento e educação didática e profissional das pessoas. Luís iniciou em 1834 a ampliação do Orfanato e concluiu em 1836 a casa que ficou conhecida desde então como “Casa do Destituído”. A partir destas ações aprouve Deus suscitar no coração do jovem a fundação da "Congregação das Irmãs da Providencia".

No ano de 1846, Luís deixa a congregação sob a tutela das irmãs e ingressa para a Ordem do "Oratório de São Felipe Neri” a qual foi reitor e realizou a construção de casas para meninas abandonadas, surdas-mudas e estudantes. Luís viveria ainda um grande desafio em sua época devido um decreto anticlerical de supressão de algumas casas de congregação em Udine. Fato este que foi contornado pelo santo.

Luís faleceu no dia 3 de abril de 1884 e canonizado pelo papa João Paulo II em 2001.