São Paulo ajuda a entender significado da conversão, segundo Papa

A conversão «é o caminho rumo à unidade dos cristãos»

| 1356 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 25 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).- A experiência de São Paulo pode ser «um modelo para toda autêntica conversão cristã», afirmou hoje Bento XVI, durante a oração do Ângelus com os peregrinos reunidos na Praça de São Pedro.

«Graças à conversão de São Paulo – explicou o Papa, aludindo à festa da conversão de São Paulo, que toda a Igreja celebra hoje – podemos compreender o verdadeiro significado da conversão evangélica.»

Ainda que no caso de São Paulo «alguns preferem não utilizar a palavra ‘conversão’, porque dizem que ele já era crente e não teve de abandonar sua fé para aderir a Cristo», o Papa recorda que a experiência de Paulo «amadureceu no encontro com Cristo ressuscitado».

«Foi este encontro que transformou radicalmente sua existência. No caminho de Damasco aconteceu com ele o que Jesus pede no Evangelho de hoje: Saulo se converteu porque, graças à luz divina, ele ‘acreditou no Evangelho’», explicou.

«Sua conversão e a nossa – observou o pontífice – consistem em acreditar em Jesus morto e ressuscitado e em abrir-se à iluminação da sua graça divina.»

Naquele momento, de fato, «Saulo compreendeu que sua salvação não dependia das boas obras realizadas segundo a lei, mas do fato de que Jesus havia morrido também por ele – o perseguidor – e que estava, e está, ressuscitado».

Segundo o Papa, «esta verdade, que graças ao Batismo ilumina a existência de todo cristão, ilumina também completamente nossa forma de viver».

Converter-se, portanto, significa «acreditar que Jesus se entregou por mim, morrendo na cruz, e que, ressuscitado, vive comigo e em mim».

Confiando no poder do seu perdão, explicou o Papa, podemos «sair das areias movediças do orgulho e do pecado, da mentira e da tristeza, do egoísmo e de toda falsa segurança, para conhecer e viver a riqueza do seu amor».

Ecumenismo e conversão

O Papa afirmou que o convite à conversão era particularmente oportuno neste domingo, em que esta festa paulina coincide com a conclusão da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que havia começado no dia 18 de janeiro.

A conversão «é a atitude espiritual adequada que o Apóstolo nos indica para poder progredir no caminho da comunhão», explicou.

«Nós, cristãos, ainda não alcançamos a meta da unidade plena, mas se nos deixarmos converter continuamente pelo Senhor Jesus, chegaremos a ela certamente», constatou Bento XVI.

O Papa pediu a intercessão de Nossa Senhora, para que «obtenha para nós o dom de uma conversão verdadeira, para que, o quanto antes, realize-se o desejo de Cristo: Ut unum sint».