Saudação do presidente da CNBB ao presidente da Câmara dos Deputados do Brasil

| 875 visitas

BRASÍLIA, 11 de novembro de 2005 (ZENIT.org).- Publicamos a seguir a saudação que D. Geraldo Majella Agnelo, presidente da Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil, dirigiu ao deputado federal Aldo Rebelo, presidente da Câmara dos Deputados, ao recebê-lo na sede da CNBB em Brasília. A saudação foi divulgada no site da Conferência Episcopal esta sexta-feira.



* * *



Exmo. Sr. Aldo Rebelo

Digníssimo Presidente da Câmara dos Deputados

Uma atenciosa saudação de boas vindas entre nós.

Também nossos augúrios pela missão que V. Excia. há pouco assumiu – presidir a Câmara dos Deputados que vive um momento de conflitos e de crise.
Naturalmente, esta atual realidade do Parlamento exige discernimento, exige decisões para que recupere sua imagem; esperamos muito que possa, através desta crise, purificar e consolidar a democracia representativa.

Valorizamos muito, deputado Aldo Rebelo, o Congresso Nacional como a casa do povo, porque os parlamentares são os representantes do povo, por ele eleitos com um mandato popular para ser seus servidores.

Naturalmente, consideramos também, de fundamental importância, a democracia participativa, inclusive como contribuição para a solidificação da democracia representativa. Continuamente, temos insistido numa regulamentação mais orgânica do Artigo 14 da nossa Constituição, disponibilizando para a participação popular os instrumentos já previstos em nossa Carta Magna: referendos, plebiscitos, iniciativa popular de lei.

Neste contexto, Senhor Presidente, também explicitamos nosso grande anseio por uma urgente Reforma Política que atenda de modo especial às causas imediatas da atual crise – revisão do financiamento das campanhas eleitorais com maior transparência, a fidelidade partidária para maior estabilidade dos partidos e segurança dos eleitores, entre outros.

Acompanhando com muito interesse a caminhada do nosso Parlamento, procuramos sempre com ele colaborar por meio de nossos representantes, oferecendo subsídios com critérios éticos, expressando os anseios da sociedade.

Uma preocupação central nos envolve diante dos projetos de lei em tramitação – tudo o que se refere à vida e suas implicações. Daí nosso envolvimento mais explícito diante dos projetos relacionados a bioética.

O conteúdo do projeto atualmente em tramitação sobre o aborto, sito atualmente na Comissão de Seguridade Social e Família, nos deixa perplexos porque libera a prática do aborto até o momento do parto. Isto revela quanto a vida está desvalorizada e subestimada: do individualismo anômico à fragmentação dos valores, da exclusão social à violência estrutural, à morte prematura, à exclusão dos indesejados, até mesmo do direito de nascer...

O Brasil tem possibilidade de acolher mais de trezentos milhões de habitantes com condições de vida para todos. Vivemos num país de cultura católica que se sente profundamente chocado com a destruição da vida.

Solicitamos de V. Excia. maior atenção para esta preocupação pela vida que nos irmanará seguramente na busca de um Brasil mais justo e solidário

Agradecemos sinceramente sua visita à CNBB.

Brasília, 10 de novembro de 2005.