Se vê, se sente, Deus está presente

Alegremo-nos, todos: o Papa Francisco chegou.

Brasília, (Zenit.org) Edmar Araújo | 448 visitas

Outubro de 1997. Eu, então seminarista, estava na companhia de outros postulantes ao sacerdócio católico no estádio Mário Filho, mundialmente conhecido como Maracanã. Havíamos chegado no início da tarde daquele que era o 4º dia do mês. Mesmo castigados pelo cansaço da viagem – um dia antes viajamos de Itu-SP até o Rio de Janeiro, cerca de 600 km – o motivo que nos alegrava era a presença do Papa João Paulo II durante o 2º Encontro Mundial com as Famílias.

Passados quase 16 anos, muitos jovens que hoje estão na cidade maravilhosa para o encontro com Sua Santidade ainda engatinhavam enquanto o papa Wojtyła exortava severamente o povo brasileiro com a declaração de que “a família é patrimônio da humanidade”. Graças ao poder invisível e eficaz de Deus, manifesto na misericordiosa vida sacramental brotada na Igreja, muitos dos jovens que hoje fazem do Rio suas moradas provisórias devem ao beato João Paulo II suas vidas e conversões em suas famílias.

Só quem esteve naquele Maracanã, naquela noite de outubro de 1997, e entoou um grito de clamor ao sucessor de Pedro poderá testemunhar o que se viu e o que se sentiu na oportunidade. Só quem esteve em 2007 com o Papa Bento XVI é que poderá dizer aos seus amigos e familiares o que significa circundar e ser circundado por um Sumo Pontífice.

Se vê e se sente que o Pai está presente na ação do povo em favor do povo, movimento da liturgia comum dos fiéis que quer dar a Igreja o amor de Deus através da oferta que se faz da vida. Se vê e se sente o Cristo no clima criado em torno do pretexto divino chamado de Jornada Mundial da Juventude a reunir o rebanho em torno de seu pastor terreno. Se vê e se sente o Espírito Santo na figura do Papa Francisco, homem que conhece esta Igreja latina e que com ela caminhou e caminhará durante todos os seus dias de vida.

O que esperar da visita do Papa Francisco a não ser um renovo na fé, na esperança e na caridade? O que dizer de um momento provido pela religião católica e promovido pela graça divina que paira sobre o Brasil a derramar bênçãos e graças especialíssimas? O que partilhar nas redes sociais a respeito desse momento histórico da terra de Santa Cruz? Se não for o amor, não será a JMJ Rio 2013.

“Ao iniciar minha visita ao Brasil, tenho consciência de que, ao dirigir-me aos jovens, falarei às famílias, às comunidades eclesiais e nacionais de origem, às sociedades nas quais estão inseridos, aos homens e às mulheres dos quais, em grande medida, depende o futuro destas novas gerações”, declarou o Papa Francisco durante seu primeiro discurso na presença de autoridades políticas e religiosas.

Alegremo-nos, todos: o Papa Francisco chegou. Se vê, se sente, Deus está presente no Brasil.