Secularização desafia tanto católicos como ortodoxos

Conclusões do Fórum Católico-Ortodoxo celebrado em Rodas

| 1205 visitas

RODAS, quarta-feira, 27 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – Representantes católicos e ortodoxos europeus alertaram sobre os perigos que derivam de uma sociedade secularizada, “sem pontos de referência morais e sem um projeto digno da pessoa humana”.

Essa é a mensagem lançada no comunicado final do segundo Fórum Católico-Ortodoxo, celebrado em Rodas (Grécia), de 18 a 22 de outubro, sobre o tema “Relações Igreja-Estado: perspectivas teológicas e históricas”.

O fórum foi presidido pelo metropolita Gennadios, do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, e pelo cardeal Peter Erdo, presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), e congregou 17 delegados desse conselho, assim como outros representantes das Igrejas ortodoxas na Europa.

“Não é possível fundamentar a convivência sem estabelecer uma relação com a realidade objetiva do ser humano, com a necessidade de abrir-se a toda realidade na qual está integrado, que não apenas se reduz à busca do bem-estar material, mas que inclui a busca do sentido da vida, por meio de uma busca espiritual que não termina nunca”, explicam os participantes no comunicado final.

“A imagem do ser humano que se projeta nos discursos públicos e nos meios de comunicação com frequência é alheia à busca da verdade, enquanto é valorizada exclusivamente a satisfação de desejos subjetivos”, diz o texto final.

O Fórum enfrentou alguns temas em particular: relação Igreja-Estado desde o ponto de vista teológico e histórico, a forma como as Igrejas vivem suas relações com o Estado; o bem comum e o serviço/diaconia da Igreja na sociedade”.

Na Europa, segue dizendo o texto, o sistema da separação com a cooperação entre a Igreja e o Estado é mais difundido.

Esta separação deve ser entendida “com separação dos campos político e religioso, e não no sentido de uma ignorância recíproca”. “Independência e autonomia recíproca devem permitir uma cooperação específica e harmônica entre as duas instituições”.

Nesse contexto, as Igrejas “desejam poder participar mais ativamente nos debates éticos e morais que afetam o futuro da sociedade”.

O terceiro Fórum Católico-Ortodoxo será celebrado em Lisboa, em 2012.