Segundo dia de reuniões do C9: pode haver novidades sobre o IOR

O Conselho de Cardeais estuda a reforma do Instituto para as Obras de Religião, bem como as mudanças na Cúria Romana

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) Sergio Mora | 471 visitas

Prossegue nesta quarta-feira, 2 de julho, a quinta reunião do papa Francisco com o seu conselho consultivo, formado por nove cardeais. A reunião começou ontem e termina nesta sexta-feira, dia 4, no Vaticano.

“Hoje não houve audiência geral, o que facilitou a permanência do Santo Padre com os cardeais na reunião”, disse o porta-voz da Santa Sé, pe. Federico Lombardi, complementando que os nove cardeais “estavam todos presentes”.

“O conselho era chamado de C8 Vaticano, mas agora pode ser chamado de C9”, disse Lombardi, devido à incorporação do secretário de Estado, cardeal Pietro Parolín, que passou a participar regularmente das reuniões.

No encontro, o cardeal Giuseppe Bertello fez uma apresentação sobre o governo da Cidade do Vaticano. Por sua vez, o cardeal Pietro Parolín fez outra sobre a Secretaria de Estado.

Um terceiro tema, disse o chefe da sala de imprensa, foi o IOR, Instituto para as Obras de Religião, antes conhecido popularmente e de modo impreciso como o “banco vaticano”. Houve ainda uma participação da Comissão Cardinalícia de Vigilância, com quatro dos cinco cardeais que a compõem.

“O Instituto para as Obras de Religião (IOR) está passando por uma fase de transição e de desenvolvimento natural e sereno. A contribuição do seu presidente, Ernest Von Freyberg, continua sendo apreciada profundamente e avaliada de maneira muito positiva. Esclarecimentos posteriores são possíveis e até prováveis na semana próxima, depois da reunião do Conselho de Economia, que será no sábado”, declarou o porta-voz.

Lombardi confirmou que as novidades serão apresentadas por volta da metade da próxima semana. O Conselho de Economia se reúne neste sábado com o papa e deverá tratar de diversos temas, como os seus estatutos, programas de próximas atividades e uma atualização sobre o IOR e o seu desenvolvimento. Haverá ainda um tempo dedicado ao balanço do ano, como sempre é feito neste período.

Quanto ao Conselho de Economia, Lombardi precisou que ele está em fase transitória, porque os estatutos ainda estão sendo concluídos.

O Conselho de Cardeais foi criado pelo papa Francisco no dia 13 de abril de 2013 e institucionalizado em 30 de setembro do mesmo ano.

Os cardeais membros provêm dos cinco continentes e dão conselhos e opiniões ao papa, embora seja o Santo Padre quem tome a decisão final sobre as medidas a ser adotadas.