Semana Santa bem vivida traz «alegria renovada», diz arcebispo

Dom Anuar Battisti expressa a graça de participar desta semana

| 981 visitas

Por Alexandre Ribeiro

MARINGÁ, segunda-feira, 17 de março de 2008 (ZENIT.org).- A Semana Santa bem vivida e participada «trará a todos uma alegria renovada, um gosto novo de viver, uma esperança que não decepciona», afirma um arcebispo brasileiro.

Dom Anuar Battisti, arcebispo de Maringá (Paraná, sul do Brasil), postou uma nova mensagem em seu blog, na quinta-feira passada, em que explica que os cristãos não podem «dispensar-se do compromisso de refazer o caminho do Mestre, cujo desfecho final é a passagem da morte para a vida».

O arcebispo recorda que, para todas as religiões cristãs, «o mistério pascal deve ser o centro de todas as celebrações litúrgicas, pois acreditamos que Jesus veio entregar a vida para o resgate de todos».

Dom Anuar lembra que a Semana Santa começou nesse Domingo de Ramos, na celebração da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém.

Explica em seguida que o processo de Jesus começa na quinta-feira santa, dia em que o Senhor celebra «com seus discípulos, numa mesa de pão e vinho, deixando, nestes símbolos, a sua presença para sempre, dizendo: "fazei isto em minha memória" (1Cor 11,23-25)».

Dom Anuar prossegue explicando que, depois desta ceia, «de alegria e de dor, marcada pela traição de um amigo e companheiro, Jesus vai ao lugar da "caveira", Gólgota, para orar e suar sangue como antecipação da dor que sofreria horas depois».

Na sexta-feira santa, em reconhecimento à redenção, «nos reunimos às três horas da tarde para recordar e reviver «o caminho da cruz e da morte», «aquele gesto salvador», e agradecer.

Segundo o arcebispo, não é dia de chorar e nem de cultivar sentimentos vazios, «mas é dia de gratidão e reconhecimento pela salvação conquistada para sempre e para todos».

«No sábado, continuando em clima de vigilante oração, cantamos o aleluia, antecipando através do símbolo da água e do fogo, o anúncio do túmulo vazio, madrugada do terceiro dia.»

Já o domingo é «o dia santificado pelo Senhor da vida e da humanidade, o dia de dobrar os joelhos, orar sem medo e sem desculpas, a fim de tomar consciência e cultivar a salvação conquistada para sempre e para todos, pelo Senhor Jesus».

«Que bom ter a graça de participar desta semana, sem querer ocupar o tempo com outras coisas, por mais agradáveis que sejam», considera o arcebispo.

Diante disso, Dom Anuar convida todos a fazerem da Semana Santa «a semana mais importante do ano, uma semana diferente, porque o amor de Deus por nós é diferente sempre, nunca se repete, é sempre novo, como deve ser o nosso agir cotidiano».