Setenta muçulmanos escrevem ao papa Francisco

Delegação islâmica presente no encontro dos amigos de Chiara Lubich e dos Focolares entrega carta ao Papa que reafirma o compromisso com o diálogo e a paz

Roma, (ZENIT.org) Antonio Gaspari | 1064 visitas

O iraniano Shahrzad Houshmand entregou pessoalmente a carta ao Papa. O Houshmand fazia parte de uma delegação de diferentes religiões "amigos de Chiara Lubich e do Movimento dos Focolares", que participa do encontro "Juntos para a unidade da família humana", que acontece em Castel Gandolfo até amanhã, 20 de março.

O objetivo do encontro é renovar e fortalecer o diálogo inter-religioso "em um espírito que tende a unir a família humana e alcançar a fraternidade universal". "Queremos expressar nosso profundo amor e respeito pela sua pessoa e pela sua mão estendida várias vezes para os muçulmanos em todo o mundo", lê-se na carta.

Além disso, os muçulmanos dizem ao Papa: "O espírito evangélico de humildade e serviço que representas através dos fatos e gestos, nos toca profundamente e gera confiança e esperança em nós, muçulmanos, fazendo-nos reviver a palavra de Deus". "Na verdade – prossegue citando o Alcorão -  “Constatarás que aqueles que estão mais próximos do afeto dos fiéis são os que dizem: Somos cristãos, porque possuem sacerdotes e não ensoberbecem de coisa alguma” (Alcorão 5:82).

A delegação também manifesta o seu apreço pelas palavras do Papa na exortação apostólica Evangelii Gaudium, nomeadamente o parágrafo 253, em que o Papa escreve: "O verdadeiro Islã e a interpretação adequada do Alcorão se opõe a qualquer violência”.

A mensagem também reitera que "as diversas instituições do mundo islâmico e a maioria absoluta dos muçulmanos acreditam firmemente e trabalham pela paz e pelo amor”.

(Trad.:MEM)