Símbolos da missa de início de pontificado

O pálio, o anel do pescador e a obediência dos cardeais

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 1052 visitas

A missa de inauguração do ministério petrino do bispo de Roma é marcada por dois símbolos concretos que acompanharão o novo pontífice: o anel do pescador e o pálio. Além deles, como sinal de obediência ao novo papa, alguns cardeais o saudarão formalmente em representação de todo o colégio cardinalício.

O pálio

Entre as insígnias litúrgicas do sumo pontífice, um dos mais evocativos é o pálio feito de lã branca, símbolo do bispo como bom pastor e menção ao Cordeiro crucificado pela salvação da humanidade. "A lã de cordeiro representa a ovelha perdida, doente ou frágil, que o pastor carrega aos ombros para conduzir às águas da vida", explicou o papa emérito Bento XVI, na homilia da santa missa pelo início do seu ministério petrino, em 24 de abril de 2005.

O pálio pontifício, na sua forma atual, é de lã tecida em forma grande e larga, com a cor vermelha das cruzes. O pálio dos arcebispos metropolitanos é estreito, feito da mesma lã e com seis cruzes pretas de seda. A forma diferente do pálio papal na comparação com o dos arcebispos destaca a diversidade das jurisdições.

No momento da imposição do pálio, são lidas estas palavras: "O Deus da Paz, que fez ressurgir dos mortos o grande Pastor das ovelhas, o Senhor nosso, Jesus Cristo, te conceda, ele mesmo, o pálio da confissão do apóstolo Pedro. A ele, o bom Pastor confiou apascentar os seus cordeiros e as suas ovelhas, e, hoje, tu sucedes a Pedro no episcopado desta Igreja que ele gerou na fé junto ao apóstolo Pedro. O Espírito de Verdade, que procede do Pai, conceda dons abundantes, inspirações e discernimento ao teu ministério, para confirmares teus irmãos na unidade da fé". "Deus confirma tudo o que fez por ti!". "E a força do Altíssimo te guarde santamente".

O anel do pescador

O anel, elemento litúrgico do Novo Testamento, é insígnia própria do bispo desde o primeiro milênio. O anel do pescador, que foi entregue hoje ao papa, traz uma representação da imagem de São Pedro com as chaves e tem o significado particular de autenticar a fé, evocando a tarefa confiada a Pedro de confirmar os seus irmãos (cfr. Lc 22, 32). O anel "do pescador" faz menção a Pedro, o Apóstolo pescador (cfr. Mt 4, 18-19; Mc 1, 16-17) que, tendo acreditado na palavra de Jesus (cfr. Lc 5, 5), conduziu a barca mar adentro e trouxe de volta a terra as redes repletas pela pesca milagrosa (cfr Jo 21, 3-14). "Hoje também se pede à Igreja e aos sucessores dos apóstolos que adentrem o mar da história e lancem as redes, para conquistar os homens para o Evangelho, para Deus, para Cristo, para a vida verdadeira", declarou Bento XVI, na homilia do início do seu ministério petrino, há quase oito anos.

No momento da entrega do anel do pescador, proclama-se: "Beatíssimo Padre, o próprio Cristo, Filho do Deus vivo, Pastor e bispo das nossas almas, que edificou a sua Igreja sobre a rocha, te concede o Anel, sigilo de Pedro, o pescador, que viveu a sua esperança sobre o mar de Tiberíades e a quem o Senhor Jesus entregou as chaves do Reino dos céus. Hoje, tu sucedes o Beato apóstolo Pedro no episcopado desta Igreja que preside a comunhão da unidade conforme o ensinamento do Beato apóstolo Paulo. O espírito do amor derramado em nossos corações te dá a força e a mansidão para, com o teu ministério, manteres os crentes em Cristo na unidade da comunhão". "Deus confirma tudo o que fez por ti!". "E a força do Altíssimo te guarde santamente".

Como último gesto simbólico, vários representantes do colégio dos cardeais saúdam o papa em mostra de obediência. Nesta ocasião, foram os cardeais Giovanni Battista Re e Tarcisio Bertone, da ordem dos bispos; os cardeais Joachim Meisner e Jozef Tomko, da ordem dos presbíteros, e os cardeais Renato Raffaele Martino e Francesco Marchisano, da ordem dos diáconos.

Durante esta parte da cerimônia, o coro canta em latim: "Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja. E os poderes da morte não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus. Tudo o que atares na terra ficará atado no céu, e tudo o que desatares na terra ficará desatado no céu".